>

segunda-feira, 5 de maio de 2008

Uma noite para esquecer

O meu dia da mãe foi passado, como passo alguns dos meus domingos, indo almoçar à casa dos meus sogros, mas sempre que isso acontece há serão até às tantas. Acordámos ontem pelas 10:00 da manhã, (sim porque andei na net até às 2:45), e a Rita levou o dia aos pulos, não tendo dormido nem um segundo .... mas era 01:00 da manhã e ela ainda não pregava olho. Para ajudar ao facto de me ter deitado bastante tarde, andei a noite toda a acordar de 15 em 15 minutos .... ora porque o Di tossia, ora porque chorava. Quando chegava ao pé da caminha dele, ele dormia. Voltava para a minha cama, lá conseguia adormecer, e eis que o Di voltava a chorar, passámos assim toda a noite. Creio que me levantei dezenas de vezes e a maior parte delas é porque o Di tem sonhos que o perturbam, pois grita, fala, chama pela irmã, diz que não quer vestir as cuecas ou não quer ir para a escola. De manhã estava com tanto sono, que acabei por não ter coragem para me levantar, o que deu origem a que a Rita ficasse em casa sem ir ao Jardim de Infância. Mesmo assim, estou morta de sono!!

3 comentários:

Mae Princesa disse...

Ha noites que não lembram ao diabo!!!!Fizeste bem em ficar a descansar, um dia não são dias!

Diana Frazão disse...

Mas, dia da Mãe, é sempre dia da Mãe! Não é?!

Um beijinho, Di

Ana disse...

Os miúdos dão umas noites péssimas!
Ás vezes também ando completamente "podre"!