>

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Estou farta de estar em casa. Estou farta das lides domésticas e por isso farta de cozinhar, passar a ferro, limpar o pó, aspirar, etc. Farta de engordar (isto hoje não me sai da cabeça).


Estou farta de usar roupa pratica, que de dia para dia se torna sempre mais pratica, para não lhe chamar desleixada (já começa a ser indiferente a combinação das cores, já só falta começar a vestir uma batinha daquelas que as nossas avós usam em casa, com muitas flores, e um chapeuzinho de palha na cabeça, ou então, ir de pantufas ... sim porque há algumas avós e tb crianças que se deslocam em pantufas ... eu pelos vistos para lá caminho).

Ao conversar com a mãe de uma coleguinha da Rita que ficou desempregada à pouco tempo pensámos em "montar" um negócio de limpeza de condominios. As vantagens deste e não outro negócio seriam a desnecessidade de um grande investimento inicial e podermos gerir o nosso tempo por forma a podermos acompanhar as nossas crianças.

Pensámos em fazer um panfleto a publicitar os nossos serviços, disponibilizando-nos para efectuar a prestação do serviço, tendo como base um desconto de cerca de 20 ou 30% sobre o valor que os clientes pagam actualmente. Será que isto faz algum sentido? Será que tem alguma viabilidade? Sinceramente, a minha cabeça é só interrogações!

Efectivamente sinto necessidade de mudar a minha vida .... parece-me bastante limitado o trabalho que faço .... não que não seja importante ..... mas .... sinto que posso dar muito mais de mim. Sei que tenho capacidade para trabalhar e ainda assim desempenhar as minhas tarefas de mãe e mulher. Afinal de contas foi isso que sempre fiz até há 5 anos atrás.

Parece que vejo a vida a passar por mim e eu a assistir de braços e pernas cruzadas. Parece que já entrei na terceira idade. Sim, porque quem vai buscar e levar as crianças á escola da minha filha não são as mães nem os pais mas sim as avós e os avôs, que os desgraçados dos pais têm mesmo de trabalhar!!! No meu ultimo trabalho, ganhava muito menos do que estava habituada pois só pagavam cerca de 800,00€ e tinha um unico filho que nessa altura frequentava a escola publica. Tinha apenas de descontar o almoço e os transportes, para além de ter andado bem vestida e bem calçada. Nunca tinha posto a hipotese de deixar de trabalhar. Com o nascimento dos filhotes mais pequenos as contas começaram a ser outras.

Fiquei durante a gravidez da Rita em casa (ou seja, estagnei para o mercado de trabalho). Ao pensar em regressar ao mercado de trabalho começam as complicações. Para ir trabalhar é com um contrato a prazo. Coloco a Rita numa escola e logo começam a surgir as doenças, e por conseguinte as minhas faltas. Faltas num contrato a prazo é sinónimo de despedimento. Sem alternativa/apoio familiar as coisas complicam-se. Entretanto já que estou em casa toca de concretizar o sonho de poder fazer crescer em simultaneo duas crianças, assim como assim, quem fica em casa por um, também fica por dois.

Nasce o Diogo. E neste preciso momento já estou em casa há mais de 5 anos (e por isso mais do que obsoleta na minha area de trabalho, para além de completar em Setembro 35 anos, estando assim fora de prazo). Agora penso se tiver a sorte de encontrar trabalho o ordenado irá andar perto dos 500 euros (se for aqui perto de casa) ou um pouco mais se me distanciar, mas com a distancia vem também o custo dos transportes que acresce ao valor que tenho de pagar a alguém que me fique com os pequenos. E digo alguém porque Infantário está mesmo fora de questão pelos custos que envolvem.
Ou seja, quando começo a fazer contas mesmo tendo como base 500€ recebo somente 250 e ainda terei de vir para casa de tempos a tempos (devido as doenças que vão surgindo na pequenada) e contar com o mais que provável despedimento. Aí será que eu estou a ver bem as coisas ou estou a complicar? se eu tenho razão como é que as outras mães conseguem trabalhar e eu não?
Há aqui qualquer coisa que não bate bem. Será que a solução deste enigma passa unica e exclusivamente pelo apoio familiar que as outras famílias têm e eu não?? Será? Custa-me a crer!!! Será que me transformei numa grandessissima Calona e agora estou a disfarçar, inventando problemas e complicações???? Como se costuma dizer .... só sei que nada sei!!!!

6 comentários:

Patricia disse...

Acho que estás muito negativa... não há necessidade. Eu não conseguiria ficar em casa tanto tempo, acho que enlouquecia... Porque não montas esse negócio? Ganhas algum, vês coisas e gente nova.
Força!

Teresa disse...

Precisas de ver as coisas pelo lado mais positivo, ao menos não tiveste patrão durante 5 anos! Mas tens alguma razão, ficamso um pouco assim como que ...estaganadas. A minha situação é ideêntica, eu deixei o emprego a tempo inteiro quando o Rafa nasceu. Não me arrependi, acho que dei o meu melhor mas claro que uma ocupação é bem vinda, até porque o dinheiro faz jeito. Porque não tentas mesmo o tal negócio? Olha que eu conheço pessoas que se estão a safar bem com isso dos condomínios. Vai em frente!
Obrigada por perguntares do Francisco. Passei a tarde no hospital porque tivemos de repetir a análise. No fim garantiram que não tem nada...acho que não passou mesmo de uma virose. Bjs

Anocas disse...

Bem, eu sinceramente não sei se andares a limpar condomínios é uma grande ideia, mas... tu é que sabes.Sempre é trabalho!
Não vai dar para conhecer "gente gira" e interessante, nem ter oportunidade de vestir umas coisinhas mais "fashion", devido à própria natureza do trabalho, mas se tu queres e achas que dá $$$$$...Boa sorte!

Anocas disse...

Acho que é normal que te sintas assim.Todas as pessoas que já passaram por essa situação compreendem. Só que a verdade é que tu estás mesmo a pensar bem..."os patrões" cada vez pagam pior (o que é natural face à conjuntura económica), despedem as pessoas cada vez com maior facilidade, até porque "atrás de ti há pelo menos outras 10 à espera" e, se calhar por menos dinheiro. Não está nada fácil!
Não é só o apoio familiar que te falta, é também poderes exercer os teus direitos enquanto mãe sempre que fôr necessário, é estares a uma distância de casa e da escola que te permita chegares aos teus filhos em tempo útil (levar 1 hora ou duas a chegar lá em situações de urgência...não dá!), é tres um salário que feitas bem as contas só dá para comprar umas roupinhas, porque o resto fica na creche, nos transportes, nas refeições fora de casa,etc, etc.
Bem, isto era suposto ser para te animar e acho que daqui a bocado está a "atirar-te para o chão a chorar"!Sorry...mas afinal porque é que tu achas que eu não mudo de emprego?!
HELLO!!!

Elisabete disse...

Tens todo o meu apoio na mudança do teu dia a dia. Por mais agradável que seja estar com os filhotes, dar-lhes apoio e vê-los crescer, se não estivermos bem tb eles não estarão. Acredito k ao fim de 5 anos ambiciones algo mais. Acho k tb eu não aguentaria assim tanto tempo. E podeste ver k tb não estou satisfeita onde estou. Mas do mal o menos.
Tb sou mal paga, trabalho imenso e mal dá para as despesas do filhote. Ainda assim, compensa.
Organiza, pensa bem nas coisas, faz cálculos de custos e ganhos e vai em frente. Começas com pouco e vais aumentando o serviço. Ao início parece complicado, mas se precisares de ajuda em termos de legislação ao contabilidade, conheço pessoas a kem perguntar!
Força, linda!
Beijocas

Mae Princesa disse...

Acho que pensas logo nas desgraças!!!Eles já são crescidos, porque haveram de ficar doentes??O Salvador na creche com 5 meses só ficou doente à séria 1 vez...E ainda há pessoas sérias que não despedem por dá cá aquela palha. Empresa de limpeza não é só fazer panfletos e siga...Tens que registar a empresa, ver tudo o que precisas ter.....Concordo que estar em casa não é opção. Eu também estive durante 3 anos e tinha as "desculpas" todas na cabeça, o meu marido ganahva muito, o meu ordenado ia ser irrisório, e impossibilitava-me de ir buscar o André cedo....Mas um dia ganhei coragem, mandei o CV e fiquei! Bem perto de casa, a ganhar não muito, mas certo, onde tenho uma ocupação, uma vida para além da familiar, e isso para mim é muito importante para o meu equilibrio! Hoje já engravidei de novo, já estive de baixa, já faltei porter os filhos doentes, e o meu contrato continua a ser renovado...como vês, tb há empresas humanas por aqui...Bj e boa sorte!