>

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Olá,

O ambiente continua de "cortar à faca". O meu marido continua isolado no quarto o que já me está a tirar do sério. Percebo perfeitamente a sua indignação, mas também sou de opinião, que ou aceitávamos ou não aceitávamos o pedido de ajuda do André, e se o aceitámos então temos que lidar, ou tentar lidar, com a sua presença da forma mais natural possível, e isso o meu marido não está a conseguir fazer!!!

Não quero ser injusta, mas o isolamento entendo-o na maior parte das vezes como uma desconsideração, não só para com o André, mas também para comigo. É que assim, embora ele esteja em casa, continuo a ser eu a cuidar dos meus filhos. Continuo a ser eu a tratar e dar atenção, e por isso chego à conclusão que afinal ele próprio acaba por ter vantagens da sua propria reclusão.

E se me desse a mim para fazer birrinha, como seria? Mais uma vez me vejo na ingrata situação de me encontrar no meio da guerra. De um lado tenho o meu marido e de outro tenho o André!!! Eu lá vou ficando pelo meio, onde de um lado encontro como fundamento a razão e do outro o coração.

Gostaria de dizer que sinto alterações no André ... mas a verdade é que não as sinto. Hoje 2ª feira, tendo em conta que se encontra desempregado deveria ser o dia em que começava a entregar fichas de candidatura em vários locais da região, com vista a tentar encontrar trabalho, ou não? Pelos vistos não!!!

Disse-me (sim ele não pede) para ir com ele a Lisboa para ele ir rescindir o contrato, quando já estou farta de lhe dizer que não vou andar de carro de um lado para o outro (ele que envie uma carta registada com aviso de recepção) para ele andar a tratar destes assuntos, pois tem tudo o que é dele espalhado pela casa de inumeras pessoas nos locais mais opostos. Já lá vai o tempo em que me disponibilizava para estas coisas. Agora já não!! Já não tenho de facto a mesma disponibilidade, até porque me pergunto até que ponto justifica andar a recolher, isto porque estou em crer que a estadia dele aqui em casa, não será de todo definitiva.

Já estou como diz o pai, que é somente para lhe dar cabo das férias.

Saiu agora para ir ao café. Confrontei-o com que dinheiro é que ia (caramba o dinheiro nas mãos dele estica, estica, estica). Disse-me que já só tinha 0,50€, mas estou certa que amanhã, o fenómeno da multiplicação já ocorreu!!!

A ver vamos o que irá ocorrer!!

11 comentários:

Liliana disse...

Imagino que o ambiente ai em casa esteja mesmo pesado, mas tambem estou de acordo contigo quando dizes que se deram uma oportunidade e para ajudar, nao vale de nada o teu marido se fechar no quarto, ate acho que piora, entao para ti nem se fala, porque estar no meio da guerra nao e nada facil.
Beijinhos

Noc@s disse...

Uí! Como as coisas estão... Sinceramente nisto tudo fico muito preocupada é com os pequeninos...
Realmente é como dizes se foi uma resolução tomada pelos dois então terão que ser os dois a levá-la adiante. Nem sei que te diga, pois não deve estar nada fácil, nada mesmo...
Jinhos

Sammy e Mama disse...

Tambem acho que o pai devia estar mais presente mas,se calhar nao consegue lidar com a situacao "tao bem" como tu!
Embora nao justifique,claro!

Ja nao sei o que te dizer!
Para mim,nao dava!
Ou mudava ou entao.........

So sei e que nao gosto de te ler assim,tas tao triste!:(
E nao mereces nada disto!
Ainda o estas a ajudar,a dar-lhe mais uma oportunidade e parece que ele nem quer saber.
Ca para mim isto e so uma questao de tempo ate a avo,fazer as pazes com ele!
E depois,la vao os maninhos andar a perguntar pelo Andre!

Um beijinho e que o Andre abra os olhos rapidamente!

gosto-muito-de-voce-leozinho disse...

a familia corre o risco de se desfragmentar....se tu e o teu marido não estiverem unidos vai ser um problema e dos grandes...

S.A. disse...

Filipa:

A reunião decorreu.

O desagrado é geral, mas parece-me que não nos dão qualquer hipótese.

Bem me manifestei, mas ganhei as mesmas.

Vamos ver no que dá.

A Mi tá doentita, mas deve ser garganta (palpita-me...lol), pelo menos estão mais calminhos...lol

Ainda não foste à Charneca????


Beijoca e continuação de muita paciência e GARRA!


Sandra

Anastácio Soberbo disse...

Olá, gosto do Blogue.
É bonito e bem feito.
Um abraço de;
Soberbo

S.A. disse...

Amiga:

Eu até apagava a a tal linha q pediste...lol...

mas primeiro tens que me instruir...lol

Bj


Sandra

Mamã e Tesourinhos disse...

Não está nada fácil, não. Força para continuar a tentar que os estragos não sejam muitos. Os pequenos irão ficar sempre marcados por mais esta passagem. Quanto ao marido, tens que ter muita calma, não vale a pena perder tudo pelo que lutaram ao longo destes anos. Melhores dias virão.
Fica bem.
Bjs.

Anocas disse...

Correndo o risco de fazer "o papel de bruxa": eu acho que, no que diz respeito a esta situação em concreto, o teu marido é um SANTO!!
Não é bem verdade que ele pudesse ter optado por dizer NÃO! Sinceramnte, imaginas bem como reagirias se ele o tivesse feito?! LOL
A verdade é que o isolamento é a única forma que ele tem para lidar com a frustração e para evitar... dizer aquilo que pensa. No fundo ele não está a fazer isto para te magoar, mas sim para tentar não o fazer!
Eu compreendo como deverá ser dificil para ti gerir esta situação e também compreendo como este é um momento delicado para a vossa família, mas a verdade é que os sentimentos não são como "fios que se ligam e desligam a cada momento" e as situações difíceis por que vocês passaram deixam marcas que, se calhar, poderão nunca desaparecer.
Quando tu olhas para o André vês o teu filho querido "de volta ao lar", o teu marido, embora pai, tem uma personalidade completamente diferente e o que ele está a ver é PROBLEMAS! Muitos problemas!
É natural que ele esteja muito preocupado convosco enquanto família e principalmente com os meninos e com o efeito que estes "aparecimentos e desaparecimentos" possam provocar neles e na forma como eles se organizam. Será positivo eles verem o irmão a desobedecer às regras, a estar em casa e depois já não estar, a aparecer com dineiro e objectos que não se percebe de onde vêm?
Sabes que eu sou sempre mais pelas mulheres e pelos filhos (não há nada como um filho), mas neste caso... acho que o teu marido merece uma defesa. Depois de tantas faltas de regras, de respeito e de despesas, poucos pais aceitariam um filho Maior de Idade de regresso a casa.
Tem calma, muita calma, com o tempo as coisas melhoram e o teu marido começará a adaptar-se novamente à presença do filho(é preciso é que também o André colabore, porque assim como vai...).
Beijos e perdoa-me por favor, tu sabes que eu adoro-vos

Teresa disse...

Olá amiga, olha sei bem o que é isso de ter de enfrentar as coisas sozinha. Como o meu marido também é daqueles que prefere calar a ter de discutir o assunto, muitas vezes fico a discutir a solo, o que pode ter piada pois ganho sempre, lol!! Mas sinceramente acho que o teu marido não deve estar a conseguir enfrentar a situação, claro que sobra para ti, como dizes se fizesses birrinha, quem cuidaria das coisas? no entanto o pior que podes fazer é colocar as coisas no típico ou tu (marido) ou ele (André). Os ultimatos não costumam resultar e se o teu casamento tem sido construido como deve ser, não ponhas tudo a perder, até porque sabes bem de que lado está a razão, certo? Nós mulheres temos outros recursos eficazes para levar a melhor...de certeza que arranjas forma de dasanuviar o ambiente.
Beijinhos grandes e muita, muita coragem

Patricia disse...

Eu compreendo-o... ele está a tentar ser mais racional para ver se não sai tão magoado se o André puser o pé na argola. Dá tempo ao tempo. Tudo se há-de arranjar. Tens uma família linda que está a ficar unida.

beijos e muita força