>

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

O que se Passou

Não posso começar este post sem deixar de Vos agradecer todas as mensagens de apoio que me têm deixado. O meu Muito Obrigado!! Acreditem que é importante saber-vos desse lado sempre disponíveis para me deixarem uma palavrinha de carinho.

Vou tentar sintetizar (embora como saibam tenho alguma dificuldade em fazê-lo) o que se passou.

Ontem quando recebi a SMS do meu filho … liguei-lhe para o telemóvel. Mostrou-se saudoso, arrependido, inconformado com as consequências da vida que escolheu, e disposto a mudar de vida, no entanto, não seguia fazê-lo sozinho.

Aparentemente estas deviam ser as palavras mágicas, aquelas em que eu acreditaria, e que fariam com que eu estivesse de pedra e cal ao lado dele, para o ajudar.

Infelizmente, diz-me o passado que estas palavras com grande probabilidade estarão, como tantas outras vezes estiveram, vazias de conteúdo!!! Este era o meu lado racional …. a pensar.

Contrariamente, o meu lado emocional dizia-me que com estas palavras só me restava uma alternativa, era não colocar mais questões e “correr” até ele, para o ajudar.

O marido e o Di já dormiam, mas contava ainda com a companhia da Rita. Comecei a ver que teria alguma dificuldade em deslocar-me até ele, e para mim, não restavam dúvidas que não ia sujeitar a Rita a sair à rua aquela hora, para com grande probabilidade adormecer na cadeirinha no carro, ou pior, ficar esperta a presenciar os meus diálogos com o irmão.

O meu marido acabou por acordar. Disse-lhe que falara com o André ao telemóvel, e que ele precisava da nossa ajuda. O pai tentou que lhe explicasse mais pormenores, mas também eu não os conhecia.

Não concordou com o facto de eu ir ao encontro do filho aquela hora, poderia ser perigoso. Disse-lhe que compreenderia todas as suas razões, que aquilo que eu estava a propor-me fazer, não seria de facto muito racional, mas como mãe, não podia deixar de o fazer.

Fui. Encontrei-me com o André e ouvi histórias de arrepiar. O meu filho mais uma vez zangou-se com a minha mãe (não quis pedir grandes explicações) e veio para a rua.
Está por isso a dormir dentro de um carro de um amigo. Surpreendidos? Eu não!!! Já não é a primeira vez que isto acontece, e por isso, o meu sentimento não é de surpresa, mas sim de choque.

Gostava de Vos conseguir transmitir o que se sente numa altura destas …. é revoltante e dói tanto que me dá a sensação que a certa altura já não oiço o que me diz … apenas visualizo flashs dele em bebe, dele ao meu colo, dele a dormir …. Vejo apenas e só, o meu bebé … que agora me diz que dorme dentro de um carro, sentado no banco da frente ligeiramente reclinado porque o carro está a cair de podre, pois nem sequer pode abrir uma nesga do vidro para poder entrar ar.

Apetece-me deixar-me levar pelo desespero e gritar o mais que possa: Mas porquê? Porque é que isto me está, nos está a acontecer???

Relatou-me que está a trabalhar num Call Center desde o dia 25 de Agosto (??) mas que se torna difícil estar a trabalhar, sem ter que comer, com noites mais dormidas.
Perguntei onde tomava banho … respondeu-me que já não tomava há alguns dias.

Disse-me que tinha um amigo de Loures (que trabalha no mesmo sitio, mas já com um cargo superior) que tem feito a gentileza de lhe comprar 2 hamburguers para ele comer. À noite é um funcionário do café do padrinho do André, que traz os salgados que sobraram e lhos dá para ele comer (mas ontem, o André poisou o embrulho em cima de um muro, e os rissóis foram literalmente atacados por formigas)!!

São relatos de uma miséria extrema … que me impressiona, mas depois, (e esta parte acredito que tenham dificuldade em perceber, pois por muito que vos possa tentar explicar, não conhecem a forma como pensa o meu filho), penso até que ponto é que as coisas não me são expostas desta forma, exactamente com o objectivo de impressionar.

É que embora seja meu filho, eu não me posso esquecer que estou a lidar com um filho manipulador e mentiroso compulsivo.

Levou-me até ao carro onde dorme. A mala do carro é um emaranhado de roupa suja, bolachas, sacos de plástico, etc, etc.

Independentemente do que que quer que seja, não há duvidas que por muita vontade que alguém tenha em mudar de vida, em se endireitar, é difícil fazê-lo sem ajuda, a dormir num carro e sem comer!!!

Mas por outro lado, essas são as consequências que advêm da vida que escolheu. Não me esqueci ainda, que esta, já deve ser a 6ª vez que estamos perante esta situação.
Nós o que temos feito, é dar-lhe um voto de confiança …. Compramos-lhe roupa (que nunca tem, ou está imprópria para ser usada), compramos-lhe o passe, faço-lhe o comer para levar para o trabalho, ou dou-lhe o dinheiro para ele comer … e o resultado é sempre o mesmo … quando chega ao fim do mês e recebe o ordenado, volta a fugir por mais alguns meses.

Nós ficamos com mais uma faca cravada nas costas, sentimo-nos enganados, usados e desrespeitados, e claro o dinheiro que nós “investimos” nunca mais o vemos. Tem sido sempre assim, já por diversas vezes.

O que se está a passar presentemente não é novidade …. É este o drama que nos acompanha há longos anos. Então o que fazer? Porque é que haveremos de ajudar, quando já temos quase a certeza do que irá a acontecer? (porque somos pais) Até quando deixamos que brinque connosco? E agora como vai ser?

Não me restava alternativa, senão trazê-lo para casa (embora já tenha ouvido o meu marido há uns meses a dizer que nunca mais iria permitir a entrada dele aqui). Viemos. Ele acabou por dormir no sofá (como se lembram já não tenho cama para o André, pois reformulamos a mobília, e anulamos uma cama). Quando o pai saiu foi tomar banho, e veio acabar de dormir na minha cama . Tomou o pequeno almoço, almoçou e já foi trabalhar (claro à conta do dinheiro que tive de lhe dar). Espero que á noite regresse (mas chegará, se chegar, pelas 23:00) e por isso, penso que a conversa que teremos de ter em família, será adiada para Sábado.

Estou muito ansiosa, tenho plena convicção que o meu marido não concorda que o protejamos. Ele entende que o filho está a colher o que semeou. Eu, por outro lado, embora percebendo as razões do meu marido, não consigo que a razão se sobreponha ao meu coração.

Por isso lá vou tentando dizer ao meu marido, que este filho, é nosso, é assim, faz-nos sofrer, mas é nosso. E se até agora nada não nos pesa na consciência, também gostaria que não fosse agora que começasse a pesar.

Hoje, posso dizer que nunca faltei ao meu filho, sempre o ajudei quando precisou, sempre lhe dei tudo o que me foi possível … e embora sofrendo muito por toda esta situação, o facto de saber que fiz o que na minha qualidade de mãe me era exigido … ajuda-me a superar a dor.

Quem tem falhado tem sido ele (ele próprio o reconhece), e por isso não concebo a possibilidade de não o ajudar. Eu não ficaria de bem com a minha consciência … ficaria toda a vida a pensar se não teria sido neste pedido de ajuda que eu recusara, que estava a luz para a mudança de vida dele.

Não, não posso ficar com esse peso comigo … mas não me posso esquecer que somos uma família, aqui em casa tomam-se decisões em conjunto …. e por isso preocupa-me alguma possível oposição por parte do pai (que é mais racional).

Sinto receio de enfrentar o meu marido, sinto-me insegura quando me questiona, pois creio que estou a tentar fazê-lo acreditar numa regeneração em que também eu, infelizmente, não acredito, mas que seria bem mais fácil se acreditasse.

Acho que não estamos psicologicamente preparados para o frenesim da sua presença, para as delirantes mentiras, para as desculpas esfarrapadas. Os pequeninos também estão confusos. O Di quando o André saiu para o trabalho foi-lhe levar um saco com roupa (que será a 3ª máquina de roupa) para levar … pois não percebe o que é que as coisas do irmão ali estão a fazer!!!

Não sei o que vai acontecer … sei que o André continua imaturo … disse-me que estaria em casa no Sábado à noite para falar com o pai (se a conversa não for feita hoje pelo adiantado da hora) se não fosse a Porto ver o Red Bull Air Force!! Isto faz sentido? Então ele está sem saber se pode ou não ficar em casa, e em vez de resolver a situação ainda põe a hipótese de ir para a festa?? O que me dizem disto???

Claro que ouvi muitas histórias, dos amigos que foram assaltar o Millennium no Olival Basto/Odivelas??!!! Dos amigos? Mas ele relata essas situações com orgulho … o que me deixa sempre perplexa, e convicta que não exagero, quando sinto o meu coração apertado, quando oiço as notícias, e em que a primeira informação que me interessa é saber a idade dos criminosos, por forma a descartar que o criminoso não será o meu filho!!. Isto é de facto muito complicado, quer de sentir, quer de vos explicar.

Hoje após mais um longo testamento, só sei dizer … que nada sei!!

Desejem-me sorte … pois acho que vou precisar!!

Assim que houver mais desenvolvimentos … aqui os “postarei”

Obrigado mais uma vez pelo Vosso apoio

Beijos

13 comentários:

Ângela Vieira disse...

Olá linda!
Até estou comovida!
Na minha opinião fizeste o que tinha de ser feito!
Por mais que te custe acreditar nele, não podias em caso de dúvida deixa-lo naquele estado...

Espero que ele hoje volte, que amanhã tenham todos uma conversa e que seja desta que ele toma juízo!
Boa sorte, tu e a tua família já merecem descanso!!

Vou de fim-de-semana e não tenho net...
Devo ficar em casa da minha mãe até quinta-feira mas vou tentar passar...

Beijinhos grandes e que corra tudo bem.
Bom fim-de-semana para vocês
Ângela e Tomás

G_ticopei disse...

De facto, depois de todos esses episódios, não é muito boa ideia baixares a guarda totalmente, deixando que o coração fale mais alto que a razão, mas tentem encontrar um equilibrio... vocês e ele. Conversem abertamente e façam algumas cedências de parte a parte...Não será nada fácil, e quanto à conversa de família, que ele não sabe se estará em casa ou não, questiona-o, com que dinheiro irá ele ver a corrida ao Porto. Não deixes que ele te utilize só para conseguir o dinheiro para esse propósito e depois desaparece novamente! Alerta e olho vivo, sem perder o carinho e o amor que tens por ele. Coragem, e que Deus te guie para o melhor.
Beijo

S.A. disse...

Quero acreditar, que a noite de ontem, foi de Mudança.

Tu estiveste maravilhosamente bem, deste todo o teu amor e protecção...

Agora resta-nos mesmo pedir e desejar muita sorte!

Tem Fé!

Abracinho apertado!


Sandra

Liliana disse...

E dificil dizer seja o que for, mas acho que tomaste a decisao certa, e teu filho, nao o podias deixar naquela situaçao. Espero sinceramente que seja o ponto de partida para a mudança, espero tambem que nao seja um esquema para vos estorquir dinheiro para as suas aventuras, espero que logo ele chegue a casa e que amanha seja o dia da grande conversa que precisam de ter os tres. Compreendo o lado do teu marido(gato escaldado de agua fria tem medo), mas tambem compreendo o teu, e eu tambem sou assim como tu, funciono muito com o coraçao, mas felizmente temos maridos mais racionais para nos "acordar" para a razao...bem, so espero que tudo corra pelo melhor, basta de sofrer,nao o merecem...
Beijinho grande

gosto-muito-de-voce-leozinho disse...

o teu marido é pai do andre?

dps passo por aqui para te dar o meu testemunho da minha experiencia com famulia em situação igaul.

Mamã e Tesourinhos disse...

Nem sei o que pensar, o que te dizer. Não vou fazer uma análise do que escreveste. Apenas te quero dizer que admiro e muito a tua Força e Fé.
Desejo do fundo do coração que tudo corra pelo melhor para vocês os 5, sim, a Rita e o Diogo também devem de contar nas decisões que tomarem.
Fica bem.
Bjs.

Elisa Albuquerque disse...

querida, és uma mulher mm muito forte, e mais ainda és uma mãe como poucas... pena ele realmente não valorizar isso :(
sorte para ti e para a tua familia, beijinhos

Patricia disse...

Não te vou dizer que compreendo ou que sei o que sentes. Não sou mãe, por isso é-me difícil saber o que sentes. Mas compreendo que não possas ver o teu filho a sofrer e que o queiras ajudar. Espero que a conversa seja franca e verdadeira e que sirva para ajudar o andré a encontrar o caminho certo.

beijos

Rita disse...

Olá! Há algum tempo que visito o seu blogue, com a privatização não consigo fazê-lo, hoje voltei a tentar, porque gosto imenso do modo como relata as situações. Apesar de ainda não ser mãe, por vezes fico com o coração pequenino por si!! Espero que a situação se resolva da melhor maneira possível. Beijinhos

S.A. disse...

Filipa:

Estou sem messenger, telefone... não sei que se passa... deve ser avaria.

Tudo de bom p vocês!

Muita paz, mesmo e muito AMOR!

Beijinho


Sandra

Liliana disse...

Entao amiga ja ha mais desenvolvimentos?

Beijinhos

Teresa disse...

Desejo-te sorte sim e acima de tudo discernimento nos momentos mais difíceis da conversa que devem mesmo ter. Uma conversa em família, protegendo os mais pequenos e com a consiência de que voçês são os pais e cabe-vos a vós a decisão final. Aliás ele próprio teve de voltar e pedir ajuda por isso imponham condições, só podem ter certezas se eles cumprir.
Beijinhos grandes e muita força

Sammy e Mama disse...

Olha nem sei o que te dizer:(
SE por um lado estou feliz...por outro estou triste!Com medo que ele vos faca sofrer outra vez.

Espero sinceramente que o Andre mude...para melhor!
Que de valor a familia que tem.POis depois de todas as mentiras e etc que ja pregou vcs estao sempre ai para o ajudar qd mais precisa.

Acho que nao devias ter escrito sobre o assalto dos amigos pois nunca se sabe quem nos le.Mas pronto e so a minha opniao!

E em relacao ao ele ir ou nao ao red bull air force...nem te digo!!!Nao faz sentido algum.So demonstra a imaturidade que ainda tem.

E o Diogo e a Rita devem estar um pouco confusos,ne? Sem saber o porque do mano estar ai!Mas,se ele se portar bem e nao fizer disparates tenho a certeza que eles vao adorar ter o mano mais velho por perto:)

Enfim,minha linda,desejo do fundo do coracao que o teu Andre abra os olhos.
Bom era ele sair do Pais.Ao menos nao havia forma de estar com mas companhias.E podia ser que se endireita-se um pouco....sei la!!!

Fico aqui a torcer por vcs.
Um beijinho e quando puderes diz alguma coisa....