>

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Pensamentos Meus

Atenção:Este post é mais um daqueles que não interesse nenhum que serve apenas para desabafar!!


Bem, eu nem sei bem como hei-de começar este post, e sei que vai ser dificil transmitir com toda a clareza o meu ponto de vista.

Como todos sabem já estou em casa há 6 anos. Até lá sempre trabalhei e estudei. Desempenhava uma actividade profissional que gostava, mas de uma forma consciente (ou pensava eu que era) decidimos que eu viria para casa. Vim. Claro que nos primeiros tempos tudo correu pelo melhor, mas rápidamente comecei a acusar o cansaço de estar em casa, o stress que as rotinais domésticas acarretam, e o isolamento que comporta (já estou a imaginar as mães que trabalham a pensarem para os seus botões: Oh tadinha, está cansada de não fazer nada ... mas acreditem que não é bem assim).

Muitas vezes penso se estou arrependida ... e a verdade é que se há dias acho que não, pensando nas vantagens que esta situação comporta para os meus filhos, há outras, em que acho sim, pensando em mim e nas consequencias que a situação tem acarretado.

O que sei, é que a estadia em casa tem propiciado o desinteresse que sinto por mim mesma. É verdade que nunca fui vaidosa, mas tempos houve em que ostentava com orgulho os meus cabelos ondolados, tantas vezes elogiados. Muitos piropos ouvi, e embora sabendo que não era propriamente uma brasa, era uma mulher interessante que despertava alguma curiosidade.

E tudo isto para vos dizer o quê? Para vos dizer que esta permanencia em casa, tem feito com que me acomodasse a muitas coisas e principalmente, me anulasse. Sim é esse o termo. Tenho levado estes anos sem querer saber das ultimas tendencias da moda, sem ter vontade de me cuidar, de me mimar, e por isso pergunto, com que legitimidade o faço? Como é que eu, me tenho permitido desistir de mim própria? Com que argumento o tenho feito?

Com o argumento do bem estar da família .... doida de todo, portanto. (Aqui está mais uma mudança. Não sou uma pessoa que me considere muito altruista, pelo menos ao ponto de pensar exclusivamente na família ... então como justificar este comportamento, senão pela desistência de mim própria?
E a meditação sobre esta temática surge a que propósito? Surge, porque ontem ao jantar, o meu marido (com toda a legitimidade, entenda-se) disse-me assim: Se no domingo (unico dia de folga que por norma tem) estiver bom tempo vou ver o jogo do Sporting.

Aquele dialogo, que para quem ouve é perfeitamente aceitável, despertou em mim, a visualização de vários flash da minha vida, especialmente do que eu era e do que sou, e pareceu-me ouvir inumeras vezes na minha mente, o meu inconsciente a rir-se de mim própria.

Tenho vindo ao longo do tempo a querer acreditar que não me cuido mais (e aqui estou-me a referir ao excesso de peso de que já estão fartos de me ouvir queixar), pois primeiro está a família.

Ou seja, não posso praticar qualquer desporto, nem ir para o ginásio com o Diogo ao colo, não tenho ninguém com quem o deixar, e só posso contar com a ajuda o pai quando este chega a casa (pelas 21:30). Mas vamos lá a saber, porque não vou eu passear, correr ou o que seja, a partir dessa hora?

Pela família .... pois se o fizesse roubaria o unico tempo que temos para estar em família, a confraternizar.
Penso muitas vezes que se o fizesse para além de não conseguir privar com o meu marido, provavelmente quando eu chegasse a casa, ou ele estaria frenético e nervoso com a agitação das crianças ou então estariam a brincar calmamente, mas a incognita de como correria, deixa-me tensa e por isso opto por não ir.

Ou seja, eu não vou cuidar de mim, para não roubar tempo à família, mas ele já pode roubar tempo à família para ir ver o Sporting!!!

Bom, não haja dúvida que eu acho que o meu marido faz muito bem, não podemos ser escravos do trabalho e da família, ele tem direito a espairecer, como tinha de ir ao salão Erótico, como tem de ir ter com os colegas para uma partida de futebol .... claro que ele tem (e digo isto sem qualquer ironia, eu acredito seriamente que sim) , mas e eu, não tenho?

Eu que tenho levado a vida a reinvindicar não só os meus, mas o direitos de tantas outras pessoas, perdi por completo todos os direitos por ter optado por ser mãe a tempo inteiro?? Será que alguém tem a noção do que é que se sente, quando as unicas palavras que profiro para um adulto é bom dia e boa tarde, quando entrego a Rita na carrinha e na escola?

E porque é que eu entendo tão bem as necessidades do meu marido, e não valorizo as minhas proprias necessidades? Há aqui qualquer coisa que não está bem, não Vos parece??!!!

Acho que a partir de ontem à noite há algo nos meus dias que vai mudar. Acho que a família vai ficar no fim do meu dia para ... segundo plano!!! Bolas sou (ai que até me custa a dizer) .... doméstica, mas não estou morta!!!!

É hoje .... é hoje que vai ficar tudo ao barulho .... e eu vou sair de casa toda lampeira, com o mp3 e a soletrar aquela musica que diz: "Tou nem aí, tou nem aí, podem gritar que eu não vou ouvir" (a letra não deve ser bem assim, mas ... passa a ser, lol)!!!

Beijinhos

14 comentários:

Liliana disse...

Nem sei que diga,porque concordo contigo quando dizes que nao te podes por para segundo plano sempre em prol da familia, e nao podes mesmo, nao te podes anular como mulher.Acho muito bem que vas dar o teu passeiozinho qunado o teu marido chegar,mp3 nos ouvidos e bora la que se faz tarde,lol

Ângela Vieira disse...

Olá!
Nova cara por aqui...está giro...já não há borboletas...ohhh

Como eu te entendo...
Estou desempregada à mais de 2 anos...com a gravidez decidi ficar em casa...os meses foram passando...
Mas aqui o marido é que me obrigou a ir por o Tomás à creche visto estar a pagar 200€ desde setembro,
Se me custou ,sim! Se foi o melhor que fiz, sim!

Vou ao ginásio, saio de casa...coisa que às vezes passava-se a semana e ficavamos os 2 em casa!
Ando a emagrecer, visto-me melhor...

Acho que fazes muito bem, tens mesmo de dedicar um pouco do teu tempo a ti!!
É muito dificil ser doméstica, ninguém valoriza:(

Olá!
Estou muito contente, apesar de não conhecer todas pelo menos acompanho 4 mamãs e seus bebés ...vou adorar conhecer-vos pessoalmente!

Eu levo carrinho...mas ao colo ele tb papa:)

Beijinhos grandes e bom fim-de-semana para voces
Ângela e Tomás

Sammy e Mama disse...

Olha...assino por baixo!!!
Como te compreendo...:(


Vamos pra night?lol

JInhos

Rute Santos disse...

Eu Acho que fazes muito bem...
Eu estou em casa á 1 ano e a dar em doida, com uma enorme vontade de trabalhar. Comecei agora uma dieta e comecei a cuidar de mim outra vez a mimar-me. Acho muito importante para ti que o faças. Mas uma vez que pões a tua familia sempre em primeiro sem te lembrares de ti, pensa que se cuidares de ti se saíres, se espaireceres, vais ficar feliz, mais harmoniosa e vais dar mais de ti á tua familia que tanto amas.

Mae Princesa disse...

Compreendo-te tão bem!Passei por isso enquanto estive em casa, com a agravante de estar num país distante...Havia noites em que dormia sozinha com o André pois haviam os jogos e os estágios...Por isso quando voltei, procurei o meu lugar, o meu emprego, e por pouco que ganhe, é aquele o meu bocadinho, da MIINHa vida....Beijos...Procura o teu lugar amiga!Tudo se consegue e nunca é tarde!

Elisa Albuquerque disse...

Linda, não penso que a tua nova atitude seja de deixar a tua familia para 2º plano, mas sim de elevares a tua auto-estima e te sentires feliz como mulher :)
Estou a pensar em fazer uma jantar antes do natal com a comunidade blogueira, que tal? deixas os miudos com o gajo e pimbas uma saidinha, hã??
beijoquinhas e faz por ti!

bom fim de semana

Noc@s disse...

Já falamos uma vez nisso as duas "nunca estamos bem com o que estamos, se trabalhamos só nos apetece deixar de trabalhar, senão trabalhamos..." Enfim é mesmo assim o ser humano. Quanto à tua nova actividade, não acho que estejas a deixar a family para 2ª plano, mas sim a ganhares forças para nunca a deixares para 2ª plano. Precisamos de cuidar de nós, de nos sentirmos bem, para o conseguirmos fazer com os outros. Se quiseres companhia, avisa! Vamos as duas cuidar de nós:-)
Jocas a correr ;-)

ANA disse...

AH! Também andaste a fazer re-styling! Gosto muito. Bjs. Ana

Patricia disse...

eu compreendo aquilo por que estás a passar. em conversa com o meu namorado já lhe disse que nem que o meu ordenado fosse para pagar infantários eu não deixaria de trabalhar. o regresso ao mundo do trabalho é mais complicado do que se julga, e o tempo que estamos a trabalhar espairecemos. todos os dias temos que cuidar de nós... temos as rotinas... linda, porque não ponderas um regresso ao mundo do trabalho, em part-time por exemplo?

beijocas

Kelly disse...

Como te compreendo...Eu só estive em casa por uns meses e parecia que não conseguia pensar em mais nada que nos outros...E depois sentia-me mesmo miserável e enclausurada...

Belita disse...

De facto és uma mulher de coragem por conseguir abdicar da carreira e viver somente a família!
Eu não o fiz porque não podia e porque não QUERIA. Acho que jamais conseguiria viver somente a vida de mãe e esquecer aquela da trabalhadora que sai, fala com os colegas e vive outras coisas que não somente a maternidade.
É mais trabalhoso, porque estamos um dia fora e ainda temos de cuidar da casa e filhos, mas também menos monótono!
Quanto ao teu caso em específico, acho que deves tentar pensar um pouco mais em ti, o teu filho está com 3 aninhos, que tal colocá-lo no infantário a tempo parcial!?
Tens de cuidar de ti, porque acima de tudo és mulher...

Beijo

A mamã disse...

é isso mesmo Filipa ...toca a sair da toca ..sei bem como te sentes pk o unico tempo que estive em casa foi os 5 meses de parto da minhas filhas e sentia-me como tu descreves ...sem interesse nenhum ..passava os meus dias de manhã á noite de pijama ... sai linda sai depois de jantar e vai fazer uma caminhada ..eu vou com a minha mae quase todos os dias e adoro.
olha a escola da Rita é muito longe? se não optavas por ir busca-la á escola a pé e já espairecias( nos dias que não chovesse)
bjs
e cuida de ti
paula

Ana Guida disse...

olha filipa, eu nao podia deixar de comentar este post pq tb tou em casa tal como tu...embora esteja apenas ha uns meses, também me sinto muitas vezes como tu, mas sabes, percebi k se nao cuidarmos de nos proprias, mais ninguem cuida! como sabes, n tenho problemas com o peso, mas gosto por vezes de tratar da pele ou pintar as unhas, mesmo nao saindo de casa..sao coisas k fazem muito pela nossa auto-estima e ficamos logo a sentirmo-os melhores :)

e quando me sinto mais em baixo, ligo a uma amiga e vou tomar um cafe, não sem antes me arranjar, nem k seja pr ir ao cafe da esquina :) axo isto mesmo mt importante...por isso, da a ti propria aquilo k por vezes gostarias k os outros te dessem, porque tu vales muito e merece-lo mais do k ninguem!

bjs gds*

Maria disse...

Viva

Tropecei no teu blogue devido à pimenta na língua (tabasco no caso do blogue da cocó na fralda lol) e, desculpa-me a intrusão mas ainda não consegui parar de ler. Compreendo bem este post, eu estou num país estrangeiro e ainda não consegui arranjar emprego a 100%. Os sentimentos de depressão e de pouca auto-estima são grandes mas aos poucos começo a subir e a ganhar, de novo, interesse pelas coisas que antes me interessavam. No fundo, pela vida :)

Aqui fica um abraço de uma desconhecida que admira a forma como tens resolvido os problemas que te acercam. Não deve ser nada nada fácil (não consigo sequer imaginar). Muita força. E mima-te, sim! Mulheres com M merecem.

Maria.