>

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Leucemia


Gostaria de partilhar convosco, uma situação que me aflige e que muitas vezes me faz pensar. Como sabem estou sempre a reclamar, ora porque me ocorrem situações caricatas, ou porque a minha família não presta, ou porque não ganhei o carrinho no intermarché, ora porque a renda da casa voltou a aumentar, ora porque isto, ora porque aquilo ... parecendo esquecer que felizmente, eu e os meus, temos um bem tão precioso para todos nós, que é ... a Saúde!!

Estou plenamente convencida que se alguma vez me depara-se com um problema sério, desvalorizava por completo todos os problemas de que me queixo.

Ultimamente, têm chegado à minha caixa de correio vários apelos de pessoas que se deparam com Leucemia entre os seus familiares, e que veêm no transplante de medula ossea a única esperança de sobrevivência.

Claro que ao ler esses apelos, fico triste por essas pessoas, mas a verdade é que passados 5 minutos dou comigo esquecida dessa triste realidade!! Infelizmente, cada vez mais vivemos centralizados na nossa própria vida, nos nossos próprios problemas, não havendo disponibilidade para olhar em nosso redor, e perceber que a realidade dos outros, é, na maioria das vezes, bem mais dificil do que a nossa! A vida é mesmo assim!!

Já pensaram como deve ser duro para uns pais depararem-se como uma doença destas? Já pensaram no que pensarão, no que sentirão? Creio que no meio de toda a tristeza, o sentimento mais marcante será o de impotência. É o ter vontade de fazer tudo por tudo, e saber que por muito que façam, nada os irá ajudar ... a não ser que apareça um dador de medula compativel com a sua criança!!!

Creio que nem consigo imaginar o desespero. Tento colocar-me no lugar desses familiares, mas sei, que o que posso imaginar sentir, ficará muito aquem do que sentem de facto, as pessoas que passam por este drama!!

E nós, o que fazemos? ficamos chocados, sentimo-nos tristes, mas as mais das vezes nada fazemos de concreto, de objectivo, nada fazemos para ajudarmos a salvar uma vida!! esses pais limitam-se a ver os seus filhos morrer, todos os dias um pouco, numa luta constante contra o tempo.

Nós, que somos e temos filhos saudáveis, continuamos nas nossas rotinas diárias, felizes com as tropelias dos nossos filhos, contentes por mais uma conquista dos nossos pequenos, tentando imaginar como será, quando entrarem na escola, que peso terão na proxima consulta de rotina, nas roupas que teremos de comprar, pois as do ano passado já não servem ... nós pais de crianças saudáveis, perspectivamos o futuro, enquanto estes pais, vivem em sofrimento o dia a dia, sabendo não existir futuro para os seus filhos, enquanto nós ... não nos lembrarmos de os ajudar!!

Já imaginaram o que se sente quando a vida dos nossos filhos poderá estar dependente de um gesto simples de alguém, que estará algures em casa esquecido, que há um filho de alguém cuja sobrevivência depende de si!!! Deve ser de facto devastador e muito revoltante!!!

Eu teria concerteza vontade de gritar e implorar ao mundo: Por favor salvem o meu filho!! E vocês não teriam?

A partir do momento em que comecei (talvez a ter tempo para olhar ao meu redor) tomei consciência que não custa nada ajudar, ofereci-me como dadora de sangue e medula ossea. Como já vos disse tenho pavor a agulhas, mas senti-me na obrigação de lutar contra o meu medo ... para ajudar alguém que precisa!! Não vos vou mentir ... vou sempre assustada, com uma inquietação no estomago, sinto-me sempre indisposta, mas o que é isso comparado com a felicidade de saber que dando um bocadinho de mim posso salvar uma vida???

Sinto que cumpro um dever de cidadania ... e alimento a esperança de algum dia ter a noticia de que sou compatível com alguém, que assim, irá superar a doença, e poderá viver junto dos que lhe são próximos, muitos e muitos anos de felicidade!!!

Todo este meu discurso visa essencialmente pedir-vos o seguinte: hoje, ao olharem babadas/os para os Vossos filhotes pensem no que sentiriam, se esta maldita doença se apodera-se da sua infância, pretendendo roubá-los ao Vosso carinho, ao Vosso amor, à Vossa companhia .... nem quero pensar nisso ... dirão vocês, tal como eu também o disse, e digo. O que é certo é que esta doença é bem real ... mata, e está nas nossas mãos contribuir e lutarmos todos juntos para a combater!!

Sabem que actualmente Portugal contribui apenas com 20.000 dadores de medula ossea para a base Mundial de dadores, e que já são 29,ooo mil adultos e 2,000 crianças que sofrem desta doença em Portugal???

Convido-vos a visitarem o site da Cedace em http://www.chsul.pt/, bem como o site da Associação Portuguesa Contra a Leucemia http://www.apcl.pt/PresentationLayer/home_00.aspx!!

Convido-vos a juntarem-se aos 20.000 dadores existentes, para que juntos, possamos ajudar a salvar uma vida!! Hoje pelos que sofrem ... amanhã por um dos nossos filhos!!

NB: Se consultarem o site do Instituto Português do Sangue, encontrarão a calendarização das recolhas, que ocorre por norma também aos fins de semana, nos Bombeiros, colectividades, paróquias, casas do povo, ginásios, etc ...... Com uma simples recolha de sangue poderão ficar inscritos simultaneamente como dadores de sangue e dadores de medula ossea.

Obrigado!!

10 comentários:

Anónimo disse...

obrigada filipa por todos os doentes e verdade que se houvesse menos egoismo podiam-se salvar muitas vidas.tenho uma amiga que teve essa doenca e graças a deus foi um irmão que lhe deu da medula ossea ele era compativel com ela e hoje ela esta boa.ja foi operada a uns 19 anos.junto a minha voz a da filipa se pudermos salvar uma vida vamos todos fazelo amanhã os doentes podemos ser nos ou alguem da nossa familia. beijinhos e um bom dia angelina

Silvia disse...

Infelizmente tens razão Filipa. Nós vivemos tão embrenhados nos nossos problemas que por vezes não nos damos conta que eles são tão pequeninos ao pé do de outras pessoas.
Eu já sou dadora de sangue há volta de 12 anos. Ando a pensar seriamente em ser também de medula.
Bjokas e bom fim de semana.

Liliana disse...

Esta e sem duvida uma realidade, estes numeros, estes casos...todos dizemos nem quero pensar numa coisa destas, mas o que e certo e que deveriamos pensar, hoje por eles, amanha por nos...sem duvida um post muito interessante e apelativo a consciencia de cada um ne nos.

Beijinhos

Rita disse...

tens toda a razão... infelizmente não posso ser dadora nem de sangue nem de medula pois só podem ser dadores quem não levou transfusões de sangue entre 1980-1990, infelizmente eu tive de levar devido a uma septicémia (infecção no sangue) e por isso não posso ser dadora... tenho muita pena de não poder contribuir mas assim que descobri isso convenci o maridão a ser ele dador... hoje por eles, amanhão por nós...
achei o teu post muito interessante e muito util!!
beijocas nossas

www.luanaedaniel.blogspot.com

A mamã disse...

é verdade
eu estou inscrita como dadora e meu marido também ...
bom fim semana
paula

Anocas disse...

Não há dúvida que os nossos "grandes problemas" ficam bem pequenininhos ao pé dos Verdadeiros Problemas!
Acho que às vezes nos esquecemos de apreciar aquilo que de bom temos nas nossas vidas para "nos dedicarmos" a ser infelizes.
Nunca fui dadora, acho que por medo e também falta de oportunidade. Sinceramente já me ocorreu em diversas ocasiões, mas nunca pensei verdadeiramente em concretizar.
Beijocas,

Patricia disse...

eu vivi de perto o cancro na minha família. é muito doloroso, é muito triste. é desconcertante. perdi 2 pessoas que gostava muito nessas circunstancias.
muito embora nós devamos ter sempre presente na nossa cabeça e no nosso coração que essas coisas nos acontecem, nao podemos estar sempre a sofrer a dor dos outros. nao quero aqui mostrar que sou fria, nao é isso, mas cada um carrega a sua cruz. é certo que às vezes ando triste e desiludida e queixo-me que nao tenho dinheiro para isto ou para aquilo, mas sei que há pessoas em situação bem diferente da minha, pessoas que nao comem, que nao tem um tecto.
devemos dar sangue, devemos ser "dadores", mas para a nossa própria saúde não devemos sofrer as dores dos outros.
Há uns tempos atrás a minha mae contou-me que viu na TV uma reportagem: cuidados paliativos no IPO. se é sempre triste ver uma pessoa morrer, mais triste é ver uma criança, que ainda nao viveu tudo. ela falou-me de um miudo que pediu aos pais para o deixarem morrer, pois já nao aguentava tantas cirurgias nem todo o sofrimento que um local daqueles acarreta.

espero ser bem compreendida, neste post que já vai longo...

ah! é verdade, já sou tua seguidora.

bjs

Liliana disse...

Bom dia amiga agora ao ver o teu comentario ate pensei que tivesses madrufado,lol, mas afinal ja e quase meio dia, eheheh...brincadeirinha

Beijocas

Noc@s disse...

Não sou dadora, acho que por medo ainda que já tenha lido, relido, e voltado a reler sobre o que é ser dador de medula, e depois porque ainda não cheguei ao momento e dizer é agora vamos! Já por diversas vezes o pensei concretizar mas ainda não foi de forma suficiente. O teu post fez-me relembrar esta minha vontade e vou outra vez ler tudo e tudo sobre e vamos a ver se é desta...
Jocas a pensar ;-)

Rita disse...

Olá Filipa!
Eu vivi bem de perto essa doença tão fatal, já lá vão 24 anos que o meu pai faleceu devido a leucemia, na altura em Portugal, pouco se conhecia sobre a leucemia, não se faziam transplantes de medula por cá, por isso tivemos de ir procurar noutro sitio a possibildade de uma cura, e assim fomos para Londres, tinhamos um dador compatível, o transplante correu, tudo correu bem, até ao dia em que apanhou um vírus hospitalar e devido á baixa imunidade que o meu pai apresentava não resistiu! Não sou dador de medula nem de sangue devido ao peso, e aos diversos tratamentos que tenho feito no último ano, mas assim que tudo estiver controlado irei inscrever-me, pois eu sei bem o quanto custa perder alguém!
Beijinhos