>

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Dia Nacional para a Sensibilização da Perda Gestacional


Transcrição parcial do post de 10/10/2008 publicado no Blog da Sandra (Diário de uma Gaja (Mãmã) Louca)

Como é do conhecimento de todos um dos objectivos da Associação Projecto Artémis é a criação de uma Efeméride - Dia Nacional para a Sensibilização da Perda Gestacional - a ser comemorado a 15 de Outubro, à semelhança de outros países.

Infelizmente, este ano ainda não poderemos ter esta data oficializada, já que ainda não atingimos o número de assinaturas viável a este passo. No entanto, a associação não queria deixar passar este momento em falso e gostava de vos propor o seguinte gesto comemorativo:15 de Outubro - Um gesto simbólico de sensibilização à Perda Gestacional

O Projecto Artémis convida a todos para que no dia 15 de Outubro coloquem um laço ao peito nas cores rosa e azul, como solidariedade para com as famílias que perderam filhos durante a gestação.
Notas minhas: Como em princípio não sairei de casa, esta foi a forma que arranjei para divulgar esta iniciativa. Se vos interessar, podem obter mais informações no site da Artemis

_--_--_--_--_--_--_--_--_--_--_--_--_--_--_--_--_--_--_--_

Esta é uma causa que me sensibiliza, pois também eu, à semelhança de muitas outras mulheres tive uma perda gestacional. No segundo trimestre de Dezembro de 2000, decidimos avançar para aquela que seria a gravidez que nos traria o nosso segundo filho. Estivemos 12 anos sem pensarmos em ter mais filhos, pois o André era excessivamente absorvente e a minha condição de trabalhadora-estudante não me permitia ter tempo para nada, muito menos ter filhos.

Entretanto, em virtude da empresa onde trabalhava ter extinguido o departamento onde eu trabalhava, deparei-me com um despedimento colectivo e a possibilidade de ficar em casa, por forma a fazer algumas cadeiras que tinha em atraso. Optámos por deixar a procura de emprego para outra altura, e aproveitar esse periodo de interrupção para tentar engravidar. Começamos a treinar em Novembro, e eis que no inicio do ano, comecei a sentir-me muito indisposta (mesmo muito) pelo que foi fácil de verificar que estava grávida e o teste veio confirmá-lo.

Ficámos muito contentes, pois a família ia aumentar.

Fui à minha médica obstetra que me mandou fazer análises e uma ecografia.

Chegados ao dia da eco lá fomos os dois felizes e ansiosos por irmos ver a nossa "estrelinha". Pelas minhas contas eu já deveria estar grávida de cerca de 10 semanas. O médico inicia a eco e diz-me que eu estaria grávida de muito pouco tempo, pois só conseguia visualizar o saco, ou poder-se-ia tratar de uma gravidez sem embrião!!???, tendo-me informado que deveria aguardar 15 dias e repetir eco.

Saímos de lá cabiz baixos, tristes e especialmente baralhados!! os meus stress não me permitiriam aguardar, sem saber realmente o que se passava, pelo que fui direitinha às urgências obstétricas do HSM.

Expliquei a situação, e o médico que me atendeu, achou que o colega tinha sido incompetente e imprudente, pois a obrigação dele seria fazer-me uma eco-endovaginal afim de poder confirmar o que de facto se passava. Fez-me a eco e diz-me que de facto há embrião, com uma idade gestacional de 8 semanas, mas não me conseguia confirmar se teria ou não actividade cardíaca.

Chamou vários colegas, uns achavam que sim, outros que não, pelo que me mandou para casa, aguardar mais uma semana, e voltar lá a repetir a eco, pois assim conseguiriam ver se tinha havido evolução no embrião, e confirmar se tudo estava bem, ou se se trataria de um aborto retido.

Voltei passada essa dificil semana, e eis que o pior se confirma ... não havia actividade cardíaca, estavamos perante um aborto retido!!!

Obviamente que a situação é constrangedora e dificil, mas eu sabia que estas situações ocorrem até mais vezes do que aquelas que possamos pensar, pelo que me mantive ainda que muito triste, calma e controlada.

Mas uma inquietação surgia ... se é retido como é que sai? Decidiram-me prescrever-me comprimidos (Cytotec) para colocação intra-vaginal para ir introduzindo de tantas em tantas horas. Como? mas agora eu vou para casa, à espera que um destes dias o embrião saia? Pois assim foi.

Andei uma semana a colocar os comprimidos e cada vez que o fazia sentia contracções horríveis, mas nada acontecia. Comecei a desesperar, pois embora tivesse ordem para poder sair de casa, não o queria fazer, pois de um momento para o outro podia ter uma hemorragia. Ao fim dessa semana, já estava desesperada, pois só tinha dores após a colocação dos comprimidos mas nada mais acontecia, pelo que decidi aceitar o convite da minha amiga Anocas para irmos tomar um cafezinho ao Colombo (eu já estava por tudo, e só queria encerrar esse capítulo da minha vida).

Continua amanhã (antes que vocês adormeçam, lol)!!

9 comentários:

Elisa Albuquerque disse...

:( ola querida ...
Lamento imenso que tenhas passado por isso, nem consigo sequer imaginar o que seja triste e desesperante estar nessa situação.

Mas sinto-me na obrigação de colocar no meu blog um lembrete e um link para o teu :)

beijinhos doces

Liliana disse...

Bom dia amiga

Imagino que devera ter sido uma situaçao realmente muito complicada, e quem sem duvida afecta qualquer mulher em qualquer idade...a historia da Sandra(diario de uma gaja (mamã) louca) tambem me comoveu, e sei que ainda hoje ela vive com essa dor no peito, quanto a ti aguardo pelo desenrolar da tua historia que por preguicite/sono deixaste a meio sua marota...

Anónimo disse...

e muito triste conheçer situações dessas.bjs angelina

Teresa disse...

Olá Filipa, é bem verdade que são situações terríveis. Eu também sofri duas perdas gestacionais antes de conseguir ter as minhas pérolas. Foram momentos muito duros, na altura eram as primeiras tentativas de engravidar e a incerteza do que se passava era angustiante. Uma foi ás 5 semanas a outra ás 13, nessa fiquei muito mal emocionalmente pois tinha feito uma eco ás 12 semanas onde consegui ouvir o coração e uma semana depois tive uma forte emorregia com perda total...acho que acabei por superar apenas porque uam terceira tentativa foi bem sucedida. Mas há quem não consiga até avançar para outras tentativas por recear enfrentar tudo de novo!
Um beijinho para ti e um abraço para todos os que já sofreram com esta situação

Noc@s disse...

Sinceramnete não sei qual é sensação, nunca passei por ela Graças a Deus, mas de certeza que deve ser muito, muito triste. Tenho amigas que já passaram pelo mesmo e vi que como se sentiram :-(
Jocas com preguiça ;-)

Mamã e Tesourinhos disse...

Oi!
Infelizmente também faço parte deste grupo. Perdi um bebé às 5 semanas antes de engravidar do Henrique. Custou muito ouvir que não havia nada a fazer porque era muito pequenino, mas felizmente do mal o menor, pois não precisei de qualquer intervenção e consegui engravidar quase de seguida.
Fica bem.
Bjs.

Ângela Vieira disse...

Olá!
Então...está aqui uma pessoa a ler...e fica sem o fim?!
Espero que tenha tido um final feliz!

Sim...é um tema que me entristece, nem consigo imaginar a dor...

Beijinhos grandes
Ângela e Tomás

Sammy e Mama disse...

Ola linda!
Conheco a tua dor...nao ha como descrever.

Lamento que tenhas passado por "isto"...

Beijinhos grandes

Sammy e Mama disse...

AH e nao faco a minima ideia do porque dessa "coisa" ai do lado nao actualizar os meus posts!:(

Eu so uso o bloglines.
jinhos