>

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Hoje Comemoraríamos o Teu 50º Aniversário

Elsa,

Hoje …. Hoje seria dia de festa … hoje celebraríamos o teu 50º aniversário, provavelmente na tua casa, rodeados pelos nossos familiares, pelos teus outros meio-irmãos (7), pelos teus muitos sobrinhos, por pessoas que te seriam queridas … seria um dia fantástico, alegre, onde claro não podia não faltar o bolo de aniversário e a abertura dos presentes! Acho que não me iria privar de te relembrar que já estavas a ficar cota, que estavas a festejar o teu meio século de existência, e iria com toda a certeza oferecer-te aquele presente, para ti sempre especial …. um livro!! ….

Infelizmente isso não vai acontecer … e é triste. Procuro os responsáveis … e sei que os há … tu também os descobriste não foi? Nunca calaste a tua revolta, a tua dor, mas não conseguiste vencer a magoa e o sofrimento. Sempre foste muito inteligente, uma inteligência cultivada pela leitura incessante de obras evoluídas de mais para a tua idade … mas nem a paixão pelos livros, nem a cumplicidade com o teu pai, fez com que te agarrasses à vida. Viveste uma vida de que pouco sabemos … foste professora de Kung-Fu, foste artista plástica, com inúmeras exposições realizadas na Suíça, local onde estiveste 20 anos, após teres fugido com apenas 18 anos.

O que passaste para lá chegares? Em que trabalhaste para ganhares dinheiro para as despesas? Onde viveste? Que amigos fizeste? Porque casaste? Foi por amor? Porque optaste por não teres filhos? Terá sido opção ou impossibilidade? Porque te divorciaste? O que te fez voltar novamente a consumires drogas? Como viveste os teus últimos 2 meses de vida em que andaste a vaguear pelas ruas de Genéve de mochila ás costas? Não havia alternativa? Porquê? Por orgulho? Tiveste medo? E o que te fez não pedires ajuda? Vergonha? Como é que tiveste coragem para o fazeres? Que desespero foi esse que não te fez reagir? E onde colocaste os teus haveres de uma vida?

Não encontrámos nada!! Apenas nos foi entregue uma mochila com meia dúzia de coisas … onde claro não podia faltar ... um livro!!! … tudo o que sabemos de ti foi praticamente conseguido pelo trabalho de investigação que fizemos na Suíça aquando da tua morte. Andámos nos estabelecimentos que frequentavas a tentar saber mais de ti … e não imaginas como é estranho falarmos com estranhos para sabermos algo mais de quem nos é querido!!!

Lamentavelmente não conseguimos falar pessoalmente com o teu ex-marido, nem com as tuas amigas que ao que julgo saber te acompanhavam em longas caminhadas à beira do rio …. Sabemos pouco, muito pouco, nunca quiseste abrir o teu coração magoado à mãe que nunca perdoaste por te ter posto num colégio interno com apenas 4 anos, e donde saíste apenas com 18 ... para nunca mais voltares. Quero que saibas que compreendi a tua dor e a tua carência …. mas jamais te perdoo o facto de nunca teres pedido ajuda, e de teres deixado um bilhete dizendo que não tinhas família a quem comunicar o óbito …. foi duro, mas foi essa a tua “vingança”, não foi?

Nem imaginas como lamento não ter privado contigo com a ternura, amizade e cumplicidade existente entre irmãs. Estou certa que ouvirias os meus desabafos, que terias sempre um conselho amigo para me dares, e que poderia contar com o teu ombro para chorar as mágoas. Partilharíamos bons e maus momentos, amores e desamores, alegrias e tristezas .... e seria tão bom!!! Tudo isto não foi possível, afinal fugiste de casa quando eu tinha apenas 4 anos de idade, e já só te vi … tarde demais!!. O desespero levou-te, e a mãe trouxe-te para onde não querias … é irónica a vida e também … a morte!!

Não posso deixar de me sentir chocada por nunca ninguém da tua família ter questionado a mãe sobre o destino do teu corpo. Tendo tu pai e 7 irmãos adultos, nunca ninguém questionou. Porquê? Não seria lógico terem curiosidade em saber? Penso que sim … mas não quero julgar ninguém … só peço que não tenha que ser eu, futuramente, a ter de tomar uma decisão difícil.

Onde quer que estejas … espero que te sintas mais amada, mais querida, e que essa tua nova família, encha de amor e carinho esse coração inconformado e sofredor.

Hoje, naquele que seria o dia de comemoração do teu 50º Aniversário, daqui te envio um beijinho ... até ao céu!!


(foto retirada)

7 comentários:

Ângela e Tomás disse...

Oh linda, vejo que o dia hoje é um pouco triste...apesar de já ter passado muito tempo é uma dor que nunca irás esquecer!

Deixo um beijinho muito grande...força!

Ângela e Tomás

Patricia disse...

Deixo-te um beijinho

liliana disse...

Espero que a tristeza da lembrança nao te estrague o dia de hoje...como esta o Di?obrigada querida por teres passado no meu cantinho e teres comentado, e realmente importante, o blog ainda nao esta como eu quero, porque ainda nao consigo por fotos,mas aos pouquinhos eu chego la,lol.E com muito orgulho, prazer e carinho que eu e a minha irma estamos a organizar as Bodas de Prata dos nossos pais.Ha pessoas que nao dao importancia a certas datas,mas nos damos, e muito, por todos os motivosque na altura do casamento deles aconteceram, como ja leste no blog...
Beijinho grande

Cristina&Alex disse...

Obrigada filipa pelos teus comentários, tens me ajudado muito!
Beijinhos muito grandes para ti e para os teus herdeiros!

MamãdaDiana disse...

Pelo que vejo hoje é um dia muito triste para ti.

A tempo atenua a dor mas não a apaga, tenho a perfeita noção disso.

sempre me disseram que o tempo leva tudo, tudo passa, amanhã é outro dia, a vida continua! Principalmente perto da data, vejo que a realidade não é essa,

E falo de uma amiga (não menos importante, mas pouco chegada nos ultimos anos). Sei o eu se sente

Beijinhos

S.A. disse...

É sempre mt triste quando perdemos alguém q nos é mt querido.

Agora, que dizer duma situação q relatas, em que em vida já não existiam laços e agora com a sua partida, tantas e tantas dúvidas se colocam? Sem qualquer resposta...
Deve ser de facto mt doloroso.
Lamento profundamente.

1 beijo e mt coragem.


P.S. Na foto a tua irmã é a jovem ou a bébé no braquito?

Alecrim disse...

Olha Filipa, desde anteontem que ando a ler o teu blogue... desde o início. És uma mulher e tanto!
Um beijinho carinhoso.