>

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

19 ANOS DE TORMENTO

Hoje seria um dia em que naturalmente me sentiria feliz, abençoada, agradecia a Deus pela possibilidade que me deu de ser mãe .... mas curiosamente hoje é um dia triste, que me faz obrigatoriamente recordar o passado e tristemente constatar que a vivência com este ser que gerei e trouxe ao mundo é tudo menos aquilo com que sonhei. Não se trata de capricho, não se trata de uma contrariedade, mas sim deuma constatação brutal, por verificar que tenho um filho com o qual em nada me identifico. Com um filho que consegue sempre surpreender-me ... pela negativa. Com um filho que me envergonho de ter, com um filho que pese embora os meus defeitos eu não merecia ter!!!

Sei que estas palavras são duras, mas a verdade é que as mesmas expressam o meu verdadeiro sentir!!! É assim que penso, é assim que sinto, e prova disso é que hoje em amena cavaqueira com pessoas conhecidas, cujo tema era gravidez e nascimentos, me senti envergonhada e por isso me remeti ao silêncio preferindo ocultar que faz hoje 19 anos que fui mãe. Sinto-me em dívida para com a sociedade por ter gerado um ser que nada de bom trás a este mundo, que se revela incapaz de amar quem quer que seja, de ser solidario, que se dá com quem o rodeia unica e exclusivamente para lhes estorquir dinheiro, que é capaz de ver quem o rodeia a sofrer e se mostra indiferente, frio e calculista.

Vive e relaciona-se com os outros com um unico objectivo ... estorquir dinheiro, sem trabalho, de uma forma desonesta e ilegal. Por mais que eu me esforce, é impossivel ter compaixão por ele, porque ao longo dos anos, ele tem apunhalado o meu amor, a minha dedicação, condescendência e capacidade de dialogo. Hoje sinto-me distante, fria, incapaz de perceber esta forma estranha de vida, com a qual não quero contactos e que sempre desprezei.

Concebo a vida como uma oportunidade para sermos felizes, competindo-nos a nós fazer por isso. Temos de nos dedicar, trabalhar arduamente para ultrapassar-mos as agruras da vida, pelo que a nossa felicidade depende em alguma medida de nós próprios. E é essa falta de actividade que me faz muita confusão no meu filho. Ele imagina-se com uma boa casa, um bom carro, boas roupas, com disponibilidade financeira para poder gastar em saídas ... mas nada faz para que isso aconteça. Não quis estudar, não quis abaraçar uma profissão e estranhamente passa os dias a brincar ao Hi5 em vez de procurar trabalho. mesmo tendo recebido um ultimato que teria de sair de casa no próximo dia 31/08 caso não procurasse trabalho, o fez mexer-se. Quando questionado se procurou trabalho responde-nos redondamente que não, mostrando apenas preocupação com o estado de tempo e com a vontade de se ir estatelar na esplanada exibindo o seu bronze.

Qualquer tentativa para explicar a minha indignação fica aquem da vivência diária com um pessoa como ele. As faltas de respeito e consideração são o prato do dia ... sendo a palavra EXTORÇÃO a palavra de ordem.

Sinto-me triste, desiludida, mas continuo com a minha consciência tranquila, pelo menos em relação a ele. Em relação ao mundo ... sinto-me em dívida, por não ter conseguido oferecer uma mais valia a esta sociedade!!!!

Filipa

5 comentários:

As Minhas Pinxesas disse...

Um beijo enorme e um xi coração apertadinho.
Força!!
Xana

Rute Santos disse...

Gostava de puder minimizar a tua dor...Não faço ideia da dor que sentes...espero nunca saber...
Pelo pouco que conheço de ti, acho que não merecias tamanho sofrimento. Mas não te sintas em divida. Nós colocamos uma vida no mundo com todo o amor que é possivel e imaginável...damos-lhe tudo o que temos e o que nao temos. Ensinamos tudo de bom, transmitimo-lhes valores que nos foram transmitidos a nós...mas o destino está fora do nosso alcance. E por melhores maes e pais que tentamos sempre ser, nunca teremos controlo no filho que temos. Pode ser sempre o que nós desejamos e lutamos para que ele fosse, ou então o oposto de tudo o que sonhamos durante toda a nossa vida.

Não te martirizes amiga, pensa nos teus dois outros filhos lindos que tens e pelos quais ainda vale apena lutar.

Bjcas e tenta ficar bem.

susana disse...

Querida Filipa.

Lamento imenso que este dia para ti seja um dia de tristeza, mas percebo perfeitamente que assim o seja. Ao longo destes anos o André tem-te dado imensas armaguras, desgostos, tristezas e até vergonhas. Perante isso, e perante os valores que mostras sempre tentar-lhe transmitir, e que ele teima em nao seguir, penso que não tens muito mais a fazer. Mantem a tua consciencia limpa, e pensa nos teus outros dois filhos que ainda te irão dar enormes alegrias, tenho a certeza.

Apesar de tudo, Parabéns por teres sido mae pela primeira vez há 19 anos!!

Um beijinho,
Susana

Liliana disse...

Ola Amiga

Lamento que este dia nao seja vivido em felicidade, compreendo que tudo o que o Andre fez e continua a fazer te leve a sentimentos como este, e que tu como mae, mulher te sintas envergonhada, mas em nada se deve a culpa tua, tudo fizeste, e ainda continuas a fazer para que ele mude, cabe-lhe a ele agarrar a vida com as duas maos...

Apesar de tudo, Parabens para o Andre

Beijos Mil cheios de carinho

Maria-e-Mamã disse...

Olá Filipa...fiquei muito arrepiada com este post...tenho uma irmã mais velha que eu 3 anos, que idêntica ao teu filho,inclusivé já tem um filho com nove anos e é praticamente a minha mãe que o cria,pois está separada...só olha pra ela, só se preocupa com ela, com o hi5, com fotos giras, noitadas e mostrar o bronze...mas ela já tem 32 anos!!E está sempre à espera do fim do mês pra recebero salário, pra gastar a maioria dele em roupas,carteiras e afins...Eu e a maioria das pessoas culpam os meus pais por lhe apararem o jogo, sempre, e nunca lhe fazerem frente por pena ou assim...mas também os defendo,principalmente a minha mãe, porque embora a educação que nos deram fosse igual,eu sou o oposto dela...Não entendo como há seres assim...Parasitas, que não têm outro nome!!
Quanto a ti Filipa desejo-te muita força e coragem para ultrapassares esta< grande rasteira que a vida te pregou!beijocas