>

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Reborn Baby

Eu até me considero uma "open mind" mas quando me deparo com artigos como o que em baixo transcrevo, fico com sérias dúvidas se de facto o sou. Há coisas que não consigo entender. Claro que respeito a opção de cada um, mas gostava de o fazer percebendo sinceramente as suas motivações. Percebo que seja uma forma de colmatar uma falta, uma carência, e assim concretizar um desejo, mas será possível fazê-lo? ou quem recorre a este serviço está somente a enganar-se a si próprio?

Para onde caminha o mundo em que vivemos? Que mais inventarão, e que mais quererão que entendamos como normal?

Não vos vou mentir, não me sinto preparada para ver estas "mães" passearem no jardim os seus reborn-baby, como aconteceu a esta jornalista, e entender a situação como algo normal. Ou muito me engano ou ficaria com cara de parva, a tentar solidarizar-me com a perturbação daquela "mãe" ou a procurar a camara dos apanhados.

Acho que estou a ficar retrogada ... só pode!! A moda está a pegar ... e por isso já temos na telenovela da noite (Feitiço de Amor) uma personagem (Rita) que vive a gravidez treinando e obrigando o futuro pai (Eduardo) a levar a filha-boneca (Clarinha) para o trabalho, para que se habitue, e tenha consciência do trabalho que uma criança importa!!!

Modernices!!!!

ARTIGO

Os Reborn são bébés que não crescem, não choram, não mamam, não têm cólicas, não ficam doentes, não precisam de educação nem dão trabalho. Desvantagem: não são reais! E penso que isso é o mais dificil de entender, sobretudo depois de ouvir depoimentos de mulheres que acordam de madrugada para saber se o bébé falso está bem, que lhe dão nomes reais e preparam o dia em que o bébé encomendado chegará a casa, decorando-lhe o quarto. Transformam em vida aparente, o que não tem vida.

Mas afinal o que pode levar uma mulher a querer um filho de plástico, com uma determinada cor de cabelos que não dá trabalho nenhum?

A maioria dos clientes é constituida por mulheres que preenchem um vazio, procuram descobrir o que é ser mãe, e avós que sentem saudades dos seus netos na fase mais precose da infância.

Qualquer mulher pode encomendar o seu "recém nascido" online. Há várias pessoas que criam estes bonecos realistas, mas uma das mais prestigiadas a nível mundial é a britânica Deborah King. Na sua página oficial da internet, a artista descreve o processo de desenvolvimento dos seus bébés falsos e oferece aos clientes um leque vasto de opções à escolha.

Esses bebés simulam o batimento cardíaco, a respiração e até têm o peso aproximado de um recém-nascido. O realismo é conseguido a partir de diferentes técnicas de pintura e de coloração, para imitar a pele de um recém nascido humano. Os bébés esculpidos são únicos, feitos um a um e sem o uso de moldes ou formas.

O preço varia entre os 600,00 e 4000,00€.

O site para adopção de um destes bébés é o :
http://www.reborn-baby.com/Adopted-baby-gallery-two.html. Da encomenda à chegada do bébé a casa, a futura "mãe" tem de esperar no minimo 30 dias.

Fonte: Happy Woman, edição de Novembro 2008

7 comentários:

Lúcia disse...

Olá!
Nunca tinha ouvido falar m tal coisa... e tantas crianças reais para adoptar!
Criei este fórum recentemente, visita:
http://maes-solteiras.forumeiros.com/forum.htm

Beijinhos

Patricia disse...

já estive à espreita... a julgar pela imagem os bonecos são muito bem feitos...
beijos

Anónimo disse...

ola Filipa nada vale o verdadeiro sorriso de uma crianca . os beijinhos que elas nos dão e quando elas deitam os bracinhos em volta do nosso pes/coso eu derreto.lol eu penso que são adultos que querem continuar a brincar ao papa e a mãmã sem terem as responsabilidades dos pais e das mães. bjs angelina

Ângela Vieira disse...

Olá!
Espero que estejam bem...nós temos andado afastados devido à preguiça da mamã...ou será mais cansaço?!
Nem tenho ligado o pc...

Nem conhecia isso...acho um horror!!

Beijinhos grandes e continuação de bom fim-de-semana.
Ângela e Tomás

Liliana disse...

Eu ja tinha visto uma reportagem sobre este assunto, e eu fiquei a pensar quem sera pior, os criadores ou as pessoas que compram?Acho que os dois sem duvida.Nao tem nexo nenhum uma mulher, homem, ou mesmo o casal, tratar de um boneco tal como se de uma criança se tratasse, e acho que para quem nao consegue ter filhos, isto so vem piorar, porque vao encontrar as pessoas muito fragilizadas, e que se vao apegar a um bebe que elas desejam , mas que nao e o seu bebe, nao e real, e de plastico, e isto pode fazer com que estas pessoas, venham a sofrer de varias perturbaçoes mentais...enfim, eu rejeito totalmente esta ideia de bebes de plastico

Belita disse...

Já conhecia!
São efectivamente fantásticos de tão parecidos com um bebé humano, mas apenas e só isso, nunca os quereria como substitutos de um filho, mas cada um.....

Beijo

Kelly disse...

ah ah...realmente também acho meio estranho...