>

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Dele

Sexta-feira - 08/05/2009

Atendo o telefone e eis que oiço:

- Mãe, tou-me a passar, num tarda pego na registadora e piro-me!!

Mas afinal o que se passa? pergunto eu.

"Estou aqui, no quisosque do café onde trabalhei. Ficaram de pagar o dinheiro que ainda tenho a receber, por crédito na conta dos pais da Mónica, quando eu estivesse em França. Quando regressei ainda não o tinham feito. Disseram-me que pagariam dia 8, e agora que venho cá pois não creditaram nada, dissem-me que SÓ me pagam se eu apresentar um NIB em meu nome, pois caso contrário não pagam. E agora como é que eu, desempregado e sem dinheiro, abro uma conta bancária?"

Perguntei-lhe, se não poderia ser um NIB de um familiar, nomeadamente eu. Respondeu-me que não, que tinha mesmo que ser em nome dele.

Questionei se no contrato que ele tinha assinado se tinha estipulado a necessidade de existência de um NIB. Respondeu-me que não.

Achei estranho e esta situação fez-me recordar que já é pelo menos a 4ª vez que eu tenho de interferir para que ele receba o seu dinheiro, mas em todas as vezes, cheguei à triste conclusão que apenas havia um responsável: ELE!!
Desta vez não seria excepção!!

Ele estava nervoso e fartou-se de ameaçar que se agarriaria à caixa registadora. Só queria o que era dele, mas já que não lhe pagavam a bem pagavam a mal. A supervisora dizia-lhe que não podia tratar deste assunto, pois os recursos humanos (no Porto) já tinham encerrado. Agora só segunda-feira!!!

Ele recusava-se a esperar, alegando que precisava do dinheiro para a renda (aqui fiquei confusa!! mas afinal já há renda para pagar? não era apenas uma bilha de gás? Fiquei baralhada, mas não era altura para questionar).

Perguntei-lhe se não havia nenhum Polícia por perto, por forma a lhe reportar a situação, e se possível, solicitar alguma ajuda. Aqui devo confessar, que alvitrei esta hipótese, não estando a pensar que a polícia o pudesse ajudar, mas sim, para que ele ficasse de alguma forma controlado, e não cometesse a loucura de agarrar na caixa registadora, porque aí sim, ficaria numa posição bastante complicada.

Para o tranquilizar disse-lhe que se fosse necessário, hoje iria com ele ao banco, emprestava-lhe o dinheiro para ele abrir a conta, (pensando cá para mim, que só o poderia fazer se nessa mesma altura pudesse levantar o dinheiro, pois deixá-lo na conta nem que por um dia fosse, era a mesma coisa que nunca mais o ver).

Ele não encontrou logo ali um Policia, pelo que se deslocou à esquadra mais próxima. Expôs a situação, e a Polícia, liga para a supervisora, que voltou a reiterar que só hoje poderia tentar resolver a situação.

O André por sua vez continuava nervoso, dizendo que não poderia passar o fim de semana na rua, pois as rendas (?????) pagam-se até dia 08!!!

Pedi-lhe o nº de telefone e liguei para a supervisora. Naturalmente que a versão dos acontecimentos foram algo diferentes. Segundo ela, desde que ele entrou, que o alerta para a necessidade de ele apresentar um NIB. O André sempre alegou que não tinha dinheiro para abrir conta, mas ela disponibilizou-se para, ao abrigo de um protocolo que a entidade patronal têm com uma instituição bancária, ele abrir conta sem qualquer importância. Para isso, precisava que ele apresentasse uma morada.

O André andou sempre a empatar a situação, nunca se tendo disponibilizado para o fazer, pese embora, tenha sido alertado, para que, qualquer importância que ele de futuro tivesse a receber, não seria processada. Ele não ligou, não quis tratar do assunto e eles agora não lhe pagam.

Estive alguns minutos a dialogar com a senhora, que diz estar muito arrependida de se ter disponibilizado para o ajudar, pois pedindo-me desculpa pela confidência e por me estar a reportar o que sente, nunca viu nada assim!!!!

Compreendi perfeitamente o sentia, pois quantas e quantas pessoas já não me reportaram o mesmo. Eu própria me senti durante anos incrédula com o que via e ouvia, e o mesmo acontece com as pessoas que lidam de perto com ele.

A meu pedido, a supervisora ficou de contactar os recursos humanos, para que se encontre uma forma simples e celere de lhe processarem a importância que têm a haver!!!

Aguardo hoje um contacto, com uma posivel solução para o caso!!!
-------------------------------------------------------------------------------

Esta situação fez-me lembrar uma outra, muito parecida com esta.

A dada altura o meu filho decidiu ir distribuir publicidade. Fê-lo através de uma agência sediada no Parque das Nações. Como sempre foi muito mentiroso, para assegurar que ele de facto estivesse a trabalhar entrei em contacto com a senhora da agência. Uma senhora muito simpática e educada. Disse-lhe que ele era muito malandro e que ainda era novinho, pelo que eu tinha que me assegurar que de facto ele estivesse a trabalhar. Trabalhava uns dias, noutros dizia que não havia trabalho, noutros dizia-me que tinham saído às 21:00, quando tinha acabado o trabalho às 16:00, enfim as histórias do costume. Mais ou menos eu conseguia ir acompanhando a situação.

Um dia, chegou-me a casa muito nervoso, dizendo que havia um colega muito engraixador, que lhe queria fazer a "folha", pois ele (o André) tinha-o visto a deixar os panfletos no lixo, chamou-o à atenção, pelo que o colega danado por ter sido apanhado, anda a inventar coisas sobre o André!!! Passado uns dias, telefona-me, histérico, dizendo que se vinha embora, pois já tinha discutido com a supervisora, e que já estava farto, e que como ela já não lhe arranjava trabalho para todos os dias, já não lhe compensava trabalhar. Tentei acalmá-lo, mas ele estava irredutível. Veio-se embora!!!

Passado uns dias, começou a ligar, para saber quando poderia ir receber os dias que tinha trabalhado e eis que me vem dizer, que ia ao Parque das Nações, pois a senhora, agora lhe dizia que só lhe pagava se ele apresentasse facturas de refeição ou combustível, mas havia um problema ... já estavamos no inicio de outro mês, pelo que não seria nada fácil encontrarmos facturas do mês anterior.

Fiquei indignada, por não lhe terem pedido essas facturas com antecedência (eu por esta altura ainda acreditava em muitas coisas que me reportava)!!! Com a ajuda de uma amiga, lá consegui as facturas suficientes. Fui lá com ele, e fiquei incrédula com o que a senhora me relatou. Afinal ela desde sempre o avisara que seria necessário a apresentação de facturas de despesas para que lhe pagasse, mas que ele não fez caso, pelo que só com a apresentação das mesmas ela lhe poderia pagar. Felizmente, consegui as facturas, pelo que lá lhe pagaram.

Relatou-me que ele era muito simpático, muito sociável, mas muito indisciplinado e provocador, e que estava muito aborrecida com ele, pois ele tinha abandonado o trabalho no meio de uma campanha que sabia que era importante, tendo-a deixado "na mão" com menos um elemento e os colegas excessivamente sobrecarregados pela sua ausência. Tinha dificuldade em acatar regras e em cumprir horários, pelo que não era para me assustar, mas ela estava convencida que de futuro ele me daria muito trabalho!!!!!! (pensava a senhora que me estava a dar uma grande novidade)!!!

8 comentários:

Tudo o que eu sonhei! disse...

Filipa,
Desde que "te" acompanho me sinto frágil ao ler estes episódios que envolvem o teu filho André. Tenho sempre uma sensação de incapacidade para opinar, de impotência para ajudar. Nem imagino o que sentes relativamente a todo este sofrimento. Ainda por cima, se não me falha o espirito observador, no meio destes defeitos o André tem a sua dose de ternura e doçura...não tem? Nada fácil ser mãe...nada fácil!
Um xi coração para ti
X

mamã da princesa disse...

Olá!
Então o rabanete já tem história?!!!

As estórias do André são mesmo surpreendentes...
Que Deus me livre e guarde e a ti que te dê força e coragem para aguentar isso tudo!

Beijinhos

EA disse...

miga que bom ler noticias tuas!
:D
Tenho saudades, tenho te ligado mas n me atendes :(
quando marcamos o nosso café?!
beijinhos mto grandes

Liliana disse...

Ola Amiga

Mais uma vez o menino Andre aprontou das suas, nao faz as coisas que lhe pedem e depois vem pedir ajuda à mae, para que tenhas descanso espero mesmo que os fulanos lhe paguem os dias de trabalho, porque comsumissoes ja tens tu coisa que chegue linda!Infelizmente e por mais que me custe admitir acho que ja nem com uma "sova" isto la vai querida...

E os pequeninos como estao?Ja ha historia para o rabanete?lol

Beijocas grandes

Nós os cinco disse...

Filipa so te posso desejar boa sorte e coragem,tudo o que escreves sobre o André é muito complicado de opinar, e para ti como mãe imagino como deves estar destroçada de ele crescer sem responsabilidades.
Beijinhos

teresa disse...

É cada vez mais difícil acompanhar o teu André! Nem sei o que te diga!
Beijos e ânimo Filipa!

susana disse...

Querida Filipa

Antes de mais as minhas desculpas por esta longa ausência. Tenho tido imenso trabalho e o tempo para vir visitar este teu cantinho tem sido nulo. Só consegui hoje, pq infelizmente estou em casa doente :(

Mais uma vez percebo que as coisas com o André continuam semelhantes ao costume. Lamento que assim seja a envio-te um grande beijinho de força e paciência para lidar com todas estas situações.

Beijinhos,
Susana

Kelly disse...

Sinceramente ele deve pensar que tu és parvinha ou então que não podes verificar factos!!
E o mais ridículo é que te liga para ameaçar que faz isto e aquilo só para tu ficares com receio que algo de mal lhe aconteça e intervens resolvendo tudo...
Está a tornar-se um vício....