>

terça-feira, 26 de maio de 2009

De Rastos

Este post provavelmente ninguém vai entender mas também não o escrevo com essa intenção. Escrevo apenas para registar o que hoje me vai na alma, após uma noite intranquila de tristeza.

Ontem o meu marido chega a casa e informa-me que o André, tinha estado no domingo na casa dos avós (paternos).

Diz-me ainda que informara os avós que tem passado muita fome. Eu sei que tem passado por muitas coisas inimagináveis porque não tem juízo, mas ainda assim, e mesmo sabendo que essas situações a ele se devem, custa-me ouvir isto, doi-me senti-lo mal!!

Contudo, pior do que sabermos um filho mal, é concluirmos que a sua situação serve para a família, fazer chacota e dar umas boas gargalhadas. Senti-me humilhada e senti, que as pessoas que o destino infelizmente escolheu para meus familiares, são crueis e indignas de serem chamado gente.

Que direito tem a família paterna do André de comentarem com gozo que a fome dele é tanta, que a barriga até ronca!!!!
Bolas, isto não é uma tristeza? isto não mete dó? isto dá para rir?

A eles dá, pois não foram eles que o geraram, não foram eles que o pariram, que passaram noites e noites à sua cabeceira, que lhe mudaram as fraldas, não foram eles que o viram crescer e que o amaram e que sofrem por ele!!! Eles estavam ... como estão hoje, presentes mas tão distantes como qualquer desconhecido!!!

Ouvi os relatos do meu marido, fazendo um esforço para me conter, pois afinal estou sempre rodeada por duas crianças que não têm culpa nenhuma desta situação, mas cada palavra proferida pelo meu marido, me sentia mais incrédula, mais sem força ... contudo, com uma vontade enorme de explodir, e de partir para uma serie de perguntas que provavelmente teriam por parte do meu marido, explicações muito racionais!!!

E essa sua racionalidade já me perturba. Ele é o homem da razão, tudo o que diz que irá acontecer, acontece ... mas no meu intimo, gostaria talvez de ter como pai para o meu filho, não um homem tão racional, mas sim um home mais disponível, mais emotivo ... mas não!!! Continua embrenhado na sua razão que faz dele no que ao André diz respeito um homem rude, sem sentimento e frio.

E é tão frio, que não consegue perceber que se há coisas que nunca um pai devia sentir, há também muitas outras que nunca se devem dizer a uma mãe, e ouvi-lo dizer que não tem pena nenhuma que o filho passe fome ... fez com que as minhas emoções se desorganizassem e começasse num pranto sem fim.

Restou-me como alternativa, sair para a rua, para não inquietar os meus filhos pequenos, vaguear a pé pelas ruas com as estrelas como companhia, e chorar, chorar, chorar!!!!

Sei que não posso exigir ao meu marido que sinta as coisas como eu sinto, pois estou consciente que o seu afastamento do André, quando ele era pequeno deixou marcas, mas .... tenho muita dificuldade em aceitar, que este homem que eu amo, nem se digne a pelo menos, embora sabendo que nada fica na cabeça do filho, tentar dialogar, tentar fazer com que perceba que esta vida que leva não lhe trás futuro.

Diz-me que se o filho tem fome é porque quer (ok é) pois se ele quisesse podia ir almoçar aos avós, aproveitando para trazer carne do talho do avô.
Tudo isto implica, que o meu filho se desloque a pé cerca de 20 km!!!

Alguém consegue pensar que muito provavelmente ele não tem capacidade quer fisica (pois está pele e osso) quer mental (pois elas não matam mas moem) para avançar diariamente para um circuito destes?

Quando uma pessoa está desmotivada (e acredito que ele só possa estar) terá força e motivação para seguir em frente? Terá discernimento para perceber o que está certo e o que está errado?

Será que estes meus familiares, incluindo o meu marido, percebe que embora o André seja o culpado, se debate diariamente com uma serie de obstáculo que para sobreviver tem de ultrapassar?
Ok, ele tem culpa .... mas só porque ele tem culpa, deixa de ser nosso, deixamos de sofrer por ele?

Já imaginaram na decepção que é, andarmos à procura de emprego (porque bem ou mal, ele já bateu a muitas portas) e verem-se-nos fechar à nossa frente ... pois não temos habilitações? sermos dados como inaptos na tropa, porque não temos habilitações?, não nos podermos candidatar a certos lugares, pois não temos uma mísera fotografia para entregar? não nos podermos inscrever em determinado local, pois a barba mal semeada teima em aparecer dada a ausência de dinheiro para uma gillette?

Ok, ele tem culpa, mas ainda assim debate-se com uma série de dilemas e ocorrências (que muitas e muitas não serão do meu conhecimento) e que com toda a certeza o fazem sofrer.

No meio do diálogo, só pude concluir que de facto o meu filho não está bem. Só isso explica a humilhação de afirmar perante os avós que passa fome!! Perante aqueles que nunca lhe deram nada, que nunca se esforçaram por ele, perante aqueles avós que recusaram o emprestimo de um dos vários carros que tinham estacionados à porta, para servir de transporte ao neto que tinha que ir madrugada para ao hospital, perante os avós que nunca lhe telefonaram no aniversário, perante a avó que o sabia a dormir na rua e nada fez, perante o avô que não raras vezes ao ver-me com ele ao colo na passadeira perto do infantário, em vez de ceder passagem, acelerava.

Estou cansada desta gente e da sua hipocrisia, mas principalmente estou cansada de ter a meu lado um homem, que me espezinha quando me diz que não sente nada pelo filho!! sendo ou não verdade ... jamais mo deveria dizer. A sua indiferença, inoperancia e falta de sensibilidade para este drama já doi que chegue!!

Quanto aos SMS, com convites para passear, deixo a questão .... isto não serão pedidos de ajuda que surjem camuflados? Como lido eu com a minha consciência se nada fizer? Se de repente algo lhe acontece? Estarei eu disposta a ficar com a consciência pesada, pois afinal era um pedido de auxilio que desvalorizei?

Por outro lado, não poderá ser tudo isto, uma outra artimanha que arranjou para me manipular?

Talvez. Mas as interrogações surgem a 1000 à hora e sinceramente, não há certezas absolutas mas sim meras interrogações.
Certeza só há uma, passei uma noite terrível e estou emocionalmente de rastos. Para ajudar, hoje às 8:00 da manhã, recebo um SMS do André dizendo-me para não levar a Rita à escola e para ir ter com ele.
Com a minha razão adormecida, o mais provavel será ir ter com ele, desatar num pranto sem fim, e mostrar a minha fraqueza (que é algo que eu detesto)!!!

Sou eu assim, pouco racional e com o coração na boca. Shame on me!!!
PS - Não sei se este post fará sentido, mas ele é somente um pequeno exemplo do turbilhão de pensamentos e sentimentos que por aqui pairam.
(Adenda) - O G telefonou, pediu-me o telefone do filho (mais uma coisa que não acho normal) e disse-me que lhe ia ligar, pois está a arranjar emprego para ele!!! Menos mal. Parece que é preciso eu desmontar-me toda .... para fazer mexer as águas!!!!

20 comentários:

Carla disse...

ola bom dia
Eu tenho acompanhado o teu blog, e acredita q eu n queria estar no teu lugar. Eu percebo q o teu filho tenha feito muitas asneiras mas a verdade é que é teu. Eu acho que o teu marido devia ser mais compreensivo em relação ao André, especialmente a tua beira. Ele esta-te a partir o coração aos bocadinhos e isso é egoista. Eu sinceramente não sabia o que fazer no teu lugar, espero que arranjes uma solução que seja boa para todos.
Em relação aos avôs eles deviam ter vergonha de trata o neto como tratam, sempre me disseram que os avôs são pais a dobrar, eles deviam protege-lo e não rirem-se dele, espero que um dia essa maldade toda venha bater a porta deles, depois vamos ver se eles gostam!!!
bjs e muita força

mamã da princesa disse...

Oh meu Deus!!!
Só me ocorre dizer: mãe é mãe!
Não sei avaliar o teu sofrimento porque Graças a Deus não passei por ele e espero não passar, mas deves estar a sofrer horrores...
Ainda ontem tinha pensado que estavas mais alivíada dos "teus problemas"... enganei-me...

Espero do fundo do coração que Deus te ilumine e proteja, a ti e aos teus... e principalmente ao André...

E para mal dele, estarás sempre de pé atrás para o ajudares, porque depois do que ele aprontou é normal. Mas mãe é mãe e só de pensar que um filho anda com fome dói o coração, apesar de tudo...

Beijinhos corajosos

blue disse...

apenas te posso dizer coragem, beijinhos

Isa disse...

Imagino como deves estar. Por muito que tente não consigo entender a indiferença do teu marido e tu como mãe, e boa mãe, deves sofrer horrores ao ouvir tais coisas. Até eu tenho pena do teu filho (e não interpertes mal a palavra pena)e como é que ele Pai não tem qualquer reação perante esta situação?
O teu filho precisa de AJUDA urgente. Estende-lhe a mão porque se lhe acontecer alguma coisa tu nunca mais te vais perdoar.
Um beijo de uma mãe que te compreende e torce por ti.
Isa

Ana disse...

Tem que ter muita força!! Tudo o que escreveu faz sentido, é um turbilhão de sentimentos...
Afinal o pai, pode tentar ser o dono da razão mas o sentimento falou mais alto, ainda bem.
Tem que pensar nos pequenitos e n se deixar ir abaixo, eu sei que custa... mas acredito que tem uma força extraordinaria e fora do comum dentro de si, e vai conseguir ultrapassar este obstaculo.
Não ligue aos comentarios de pessoas que não merecem o seu respeito... afinal podem ser avos... mas antes de serem avos foram pais... e pelos vistos não aprenderam nada com isso... o desprezo é a melhor vingança.
Muita força.
Beijinho
Ana

Anónimo disse...

quem sou eu para comentar alguma coisa... mas apeteceu-me só deixar uma palavra... será que o "homem" tb não vai deixar essa frieza marcada nos outros pimpolhos???

Espero que não...

Jokinhas

Eli


Eu e o meu Pintas

Cresce barriguita...cresce!!! disse...

querida Filipa
peço desculpa a intromissao no teu blogg e principalmente na tua vida.
naos ei o que se passa/passou..qeum sou eu para dar conselhos..mas uma coisa aprendi....venha quem vier...venha q homem vier...o meu filho está acima de tudo!! mas isto é eu a opinar...nao sabendo nada do que se passa ok?? por isso desculpa qq coisinha..eu costumo dizer..falar é facil...opinar sobre a vida dos outros é facil..mas fazer..ui ui isso custa p caraças!!!
Não deixes nunca que humilhem a ti ou ao teu filho!! ele é o teu sangue....
mil beijinhusssssssssssss e muita força

teresa disse...

Olá Filipa! Já te deixei vários comentários em que te garanti que partilho dessa tua sensação «estranha» como dizes, de por um lado entender que o André cresceu e fez as suas escolhas...por outro o ser mãe, o que implica ter um olhar bem diferente do amor, daquela dor que nos revolta as entranhas, por sentir-mos como nossa responsabilidade tudo o que de bom ou mal acontece a uma cria nossa! Por isso, este teu post, para mim faz todo o sentido - acho a racionalidade do teu marido muito fria, compreendo os motivos e até posso entender o distanciamento que pretende ter do filho, mas acho que ser pai vai mais além do que dizer «eu tenho razão!» Por vezes o coração devia falar mais alto!
Beijos grandes e muita força

Anónimo disse...

Olá
Não te vou perguntar se estás bem, porque sei que não estás. Quem é mãe é sempre mãe, apesar de tudo o que possa acontecer.

Não tenho nada que te possa dizer para te ajudar, a não ser que se quizeres desabafar eu estou aqui para te poder ouvir.

Um beijinho com muito carinho e cheio de força para os tempos dificeis que estás a passar.

Arminda Pereira

Sammy e Mama disse...

Fogo....ate eu fiquei mal!:(

Nem sei que te diga....que triste!:(((

Ele e teu filho minha linda mas,por favor ,nao deixes que ele te continue a magoar...
Um beijinho e um abraco bem apertadinho,

Mae Princesa disse...

Um beijinho muito grande de força e de incentivo...Farás o que te ditará o coração, e isso faz de ti a grande mulher que és! Não posso opinar, nem julgar, apenas dar-te um beijinho à distância!

Alexandra Cardoso disse...

Olá querida Filipa,

Como prova de que acompanho a vossa triste história estou aqui hoje de novo a deixar um pequeno comentário!
Depois de ler o seu post,dou comigo a ter vontade de lhe dar um abraço apertado... é com os olhos rasos de água que lhe deixo uma palavra solidária... apesar de tds as contradições, incoerências e duvidas que possa ter e sentir.... a vontade de dar mais uma hipótese vai ser sempre maior que tudo o resto... porque independentemente da postura do André, das atitudes altamente questionáveis, o sentimento que vos une vai ser sempre superior ás circusntâncias...
É uma palavra amiga que lhe deixo, com o meu comentário espero transmitir-lhe muita solidariedade, compreensão e desejo sinceramente que as forças nunca a abandonem... sei que o caminho que percorre é bastante tortuoso, pois se por um lado padece pelo seu menino, por outro padece a relação com o pai dos filhos, com o homem com quem partilha a vida...
Nunca perca a esperança Filipa!!
Um abraço apertado...
Alexandra Cardoso

Susana Pina disse...

Tu és mãe, geraste-o durante 9 mêses e é normal sentires-te assim. Também acho que o teu marido como pai devia ter tido outra postura e ajudar-te a encontrarem ambos uma solução se é que ela existe, mas pelo menos perceberem se ele está ou não a passar fome.
Fico a aguardar as noticias que espero sejam melhores, e tu amiga, tenta mais uma vez seres forte.
Um bj grande
Susana

angelina disse...

Filipa esses sentimentos todos nào são de fraqueza ao contràrio é isso ser mãe .não compre-endo como é que os avòs do André tem coragem para rir do neto eu ao ler este post apetece-me chorar imagino-me se fosse alguem da minha familia eu faria tudo para o ajudar .e eu penso que o André precisa de ajuda . um beijinho grande angelina

A mamã disse...

Bom Filipa nem sei que te diga ..a atitude do teu marido é boa agora ..mas é como dizes não precisava esperar por extremos ...noto que estás aflita, indecisa no que fazer, se por um lado queres lhe dar a mão por outro temes que ele queira a mão e o braço como das outras vezes ... vai ter com ele ...mata-lhe a fome :-(
mas não deixes que passe muito disso para ele não "abusar" de ti
ai amiga que te posso dizer mais ?????
sei lá
estar de fora é fácil eu sei
beijo e chateia sempre que precises
paula

Fernanda disse...

Li o seu texto com muita atenção.
Pelo que tenho lido, a minha amiga tá depende do seu marido, pois só ele trabalha fora de portas.
Uma coisa é certa... os nossos filhos são o que de mais importante existem. Será que a amiga, na altura devida apoiou o seu filho? Não quero de modo algum com isto dizer que foi ou é má mãe.
Mas... eu no seu caso teria ou tentaria fazer algo de bom com o seu filho. O problema é que pelo que vejo o seu marido,infelizmente não tem mjuita vontade em ajudar o filho. Vejam se ainda vão a tempo...um dia a vossa consciência não vá ficar pesada...
Desejo que esse vosso filho tenha um pouco de mais sorte... e que sinta que os pais o estão a ajudar.

EA disse...

ai amiga que dor ... nem sei o que te dizer .. realmente é um turbilhao de sentimentos sem fim ... e te sentes dividida pois claro .. como diz a escritora susana tamaro, vai até onde te leba o coraçao.

bjinhos mil

gabriela disse...

Não sei que dizer mas entendo o seu coração de mãe.
Eu já lhe disse que não saberia lidar com uma situação dessas, mais uma vez lhe digo que a admiro muito como mulher e mãe.
Desejo boa sorte para o André que ele se encontre a ele próprio, quem sabe uma boa conversa com o pai irá mudar alguma coisa.
Boa sorte para vós beijinho

Anne Lieri disse...

Filipa,passeando de um blog a outro cheguei ao seu:lindo!Alguém que gosta de voar como eu.Encontro esse texto,triste,desesperado e me comovo demais pois sou mãe também!O que dizer?Tenha fé?É facil falar,mas é tudo que me vem!Dizem que até aos pássaros do campo Deus dá o alimento,quanto mais a um filho seu que passa fome!Não sou evangélica,mas me veio a vontade de te dizer algo pois fiquei triste em ve-la triste,mesmo sem conhece-la!Seu texto,apesar do desabafo está muito bem escrito e comovente!Abraços,

ladybug disse...

Oh Filipa, lamento muito por todos vocês:( É impossível que toda esta situação deixe as pessoas, nomeadamente familiares, indiferentes... Um beijinho muito grande